01
Set

O motivo do meu (novo) sumiço, e volta!

Meu mundo Pessoal

Demorei tanto né? É que achei que seria fácil contar o que aconteceu nesse tempo…

Porem se torna complicado deixar assim tudo escrito, acho que por ser uma forma de oficialização! Como não posso deixar de contar aqui, que é um pedacinho de mim, aqui vai:

Era uma vez, dois risquinhos e um positivo!

ganho-perda-capa

Mas antes…

(mais…)

2 Comentários
11
Jun

30 novas impressões sobre o Brasil, segundo uma brasileira vivendo fora do país há 7 anos!

Especial Meu mundo

Pensei muito, mas muito mesmo antes de fazer esse post mas, como achei o assunto interessante, vamos lá… Hehehe

sp-capa

Amanhã começa a Copa do Mundo 2014 no Brasil e, a abertura será na minha terra em São Paulo.

No começo do ano passei 1 mês lá, depois de quase 7 anos sem voltar pra casa… Então minhas reais impressões foram:

 sp-0

Como já esperava, tudo é está diferente… Mas confesso, que bem mais do que imaginava.

(mais…)

2 Comentários
28
Set

Aveiro, segunda parte

Meu mundo

Antigo e atual ao mesmo tempo junto e misturado!

Prontos pra mais uma parte do especial daqui de Aveiro, Portugal?

Hoje vou trazer uma das coisas que mais me encantam aqui, o mix do NOVOxANTIGO
Sim pode até parecer estranho, mas mesmo estando há 4 anos vivendo em Portugal essa mistura só ficou mesmo aparente quando nos mudamos pra cá. Já que em Quarteira no Algarve por ser uma cidade que atrai mais turistas por conta do verão, é um bocado mais novinha.

Vou fazer mesmo como no ciclo da vida, só que ao invés de ser de um ser humano vou representá-la por edificios… Hehehe

 

Com o nascer, crescer e ficar maior… Evoluir e então ficar melhor!

 

Se torna antigo. Mas envelhecer, não é saber viver apenas com as marcas que o tempo deixaram, e sim com as marcas que o tempo deixou para nos contar suas histórias!

 

A morte. Mas, pra quê se preocupar tando com ela? A vida já tem tantos problemas que temos de resolver primeiro…

Espero que tenham gostado de mais essa parte da nossa viagem virtual, hehehe

Até semana que vem, com mais de Aveiro!

Beijos.

10 Comentários
21
Set

Aveiro, primeira parte

Meu mundo

A apresentação…

Dia 11 de setembro não é apenas o aniversário se é que podemos chamar assim dos ataques terroristas aos EUA, mas também marca o dia em que cheguei aqui em Aveiro… Para ser mais exata, 2 anos que cá cheguei, hehehe.

Reparei que nunca fiz um post sobre a cidade. Que vergonha!

Por isso decidi fazer um especial aqui no blogue, pra compensar todo esse tempo.
Espero que gostem!

Começando pelo começo hehehe, Aveiro é conhecida como a Veneza de Portugal, graças aos seus famosos moliceiros.

 

Mas o que são Moliceiros?

São os barcos que circulam na Ria de Aveiro. Eram originalmente utilizados para a apanha do moliço o qual era a principal fonte de adubagem nas terras agrícolas, mas hoje em dia são mais usados para fins turísticos. São típicos dessa região, e são considerados o mais elegantes mesmo com a decoração colorida e humorística.

Fábrica Campos:

O enorme pavilhão que hoje é o Centro Cultural e de Congressos da cidade. É apenas o corpo central da Fábrica de Cerâmica de Jerónimo Pereira Campos, construída entre 1915-1917, segundo desenho do arquitecto José Olímpio, do Porto. No final da década de 60 e inicio dos anos 70, a crise económica na empresa se instalou e levou ao abandono destas instalações que foram desaparecendo, tendo ficado apenas o pavilhão central que, após dispendioso mas louvável trabalho de recuperação, se converteu no actual Centro Cultural e de Congressos e, como ex-libris da cidade, evoca ainda o prestígio da tradição cerâmica em Aveiro, simbolizado pela alta chaminé da fábrica. Com a bela arquitectura desta longa fachada é a amplitude das janelas em volta inteira que se desenvolvem em três espaçosos andares, onde nasceram muitas salas e gabinetes mas, sobretudo um amplo e harmonioso anfiteatro de utilizações múltiplas que muito veio enriquecer toda a obra realizada que surpreende pela unidade dos materiais usados, dentro das tradições industriais da época e das matérias primas aveirenses.

 

 

Ria (isso mesmo, com “A” no fim, hehehe):

Nada mais é que do que o resultado do recuo do mar, com a formação de cordões litorais que, a partir do século XVI, formaram uma laguna que constitui um dos mais importantes e belos acidentes hidrográficos da costa portuguesa. Rica em peixes e aves aquáticas, possui grandes planos de água, locais de eleição para a prática de todos os desportos náuticos. Ainda que tenha vindo a perder, de ano para ano, a importância que já teve na economia aveirense, a produção de sal, utilizando técnicas milenares, é ainda uma das actividades tradicionais mais características da cidade de Aveiro.

 

Praça da República:

Onde concentram-se um conjunto significativo de edifícios e monumentos de valor e de referência para a cidade.

 

Jardim Infante Dom Pedro:

Um dos sítios lugares que mais gosto por aqui! O parque Infante Dom Pedro, ou Parque da Cidade, foi organizado a partir de 1862 a partir da área que pertencia ao Convento de Santo António. Foi feito um aproveitamento da ribeira que o atravessava para se criar um cenário de lagos e fontes a pontuar a área verde envolvente. Neste jardim destacam-se a avenida das tílias, o coreto em ferro e os recantos românticos junto de pontes e árvores.

 

Volto na próxima semana, com mais de Aveiro pra vocês! Hehehe

Beijos.

3 Comentários
26
Ago

10 Erros em uma entrevista de emprego

Boas Idéias Meu mundo O que fazer

Notaram minha ausência? Hehehe
Pois é, estava um pouco atarefada com outras coisinhas, o que me deu uma idéia para esse post ;)

Quando surge a oportunidade de uma emtrevista de emprego, vocês sabem como agir e o que fazer, para que ocorra tudo como o esperado? Afinal, a primeira impressão do contratante pode ser fundamental para que consiga a tão esperada vaga!

Por isso então, trago os dez erros que podem ser fátais para não colocarem tudo a perder quando estiverem à frente do entrevistador:

 

#10 -Demonstrar desequilíbrio emocional: Não é segredo para ninguém que o nervosismo pode atrapalhar, e muito, nos momentos decisivos. Na entrevista de emprego não poderia ser diferente. O candidato pode até ter o perfil ideal para a vaga, mas se deixar a tensão dominá-lo no momento em que precisa deixar claro suas qualificações, sua chance pode ir por água abaixo. O desequilíbrio emocional demonstrado pela insegurança e o nervosismo pode dizer ao recrutador que você não está pronto para assumir uma grande responsabilidade. Por isso, evite cometer erros como: levar um acompanhante para esperá-lo após a entrevista, inflar seu discurso com comentários negativos ou colocar-se em uma posição de vítima frente adversidades. Se você tem um bom currículo e suas características correspondem ao perfil da vaga, não há motivo para se preocupar.

#09 -Não perguntar nada durante a entrevista: Não é porque você está fazendo uma entrevista que sua participação na conversa deve se limitar a responder o que o entrevistador pergunta. Por timidez ou insegurança, muita gente sai com dúvida da entrevista e isso é ruim. Caso o recrutador não mencione, é sua obrigação perguntar detalhes sobre a rotina de trabalho e benefícios. Porém, isso não significa que você deve incorporar o perguntador chato. Caso a explicação sobre a vaga não tenha sido suficiente para esclarecer suas dúvidas, pergunte com bastante delicadeza novamente: ‘Desculpe-me, não ficou muito claro para mim’. Agora, se mesmo assim restarem dúvidas, deixe para outra ocasião. Perguntar sobre o salário não é uma coisa ruim, desde que você não se preocupe só em saber quanto será a remuneração. Procure se informar sobre outros detalhes para não mostrar que está interessado só no dinheiro.

 

#08 -Vangloriar-se de suas conquistas pessoais: Na hora de “vender seu peixe” ponha o ego de lado e não em primeiro lugar. O discurso não pode estar recheado de “eu fiz”; “eu consegui”; “eu conquistei”; e “eu realizei”. Quando você coloca todas as conquistas em primeira pessoa pode soar presunçoso para o entrevistador. Até porque, na maior parte das empresas, os projetos e as realizações não são fruto do trabalho individual, mas sim, de uma equipe. Na hora de destacar seus feitos, procure valorizar sua participação em um projeto de sucesso implementado por uma equipe, e a partir disso, destaque como foi sua atuação para que ele fosse bem-sucedido. Lembre-se: egocentrismo não é uma característica admirada pelos contratantes. Para não cair nessa, vale treinar na frente do espelho. Olho no olho, com segurança no discurso. Um pouco de bom humor também ajuda. Existe uma tese que diz: quando você sorri, se desarma internamente e se torna mais receptivo.

#07 -Disputar espaço com o entrevistador: Para disfarçar o nervosismo, tem muita gente que acaba partindo para o ataque e disputando espaço com o recrutador durante a entrevista. Para driblar a insegurança, ele acaba querendo fazer pose de sabido a fim de triunfar sobre o recrutador. Isso tudo, porém, é muito mais que previsível para quem trabalha com Recursos Humanos. Aí, das duas uma: ou você perde a vaga porque o recrutador percebe sua insegurança por meio de uma postura imatura de quem está na defensiva, ou acaba sendo eliminado pela prepotência e o excesso de arrogância que esse comportamento demonstra. Por isso, não entre numa disputa direta com o recrutador. Espere, escute e, aí sim, faça suas considerações, sempre com humildade.

 

#06 -Falar mal do emprego ou do chefe anterior: Mesmo que esteja com raiva da empresa ou do chefe antigo, jamais fale mal deles na entrevista de emprego. Essa atitude é vista com maus olhos por 99,9% dos recrutadores. Na entrevista de emprego, o recrutador não está interessado em ficar por dentro de ‘pendengas’ cujas pessoas e razões ele simplesmente desconhece. Seu objetivo é investigar de que maneira seu perfil profissional e suas qualificações poderão ser úteis para a empresa. Caso você vá logo partindo para o discurso de que estava infeliz no emprego anterior porque seu chefe o perseguia, além de desviar o foco da entrevista, estará levantando questões que podem levar o recrutador a repensar sua contratação. Afinal, numa situação de conflito, é preciso avaliar a parcela de culpa de ambas as partes. Além disso, falar mal da empresa ou do antigo chefe revela uma postura antiética de sua parte, pois se tratam de segredos e detalhes de um negócio do qual você não faz mais parte. Mas, atenção: isso não quer dizer que você deva mentir, e sim, contornar a situação. Uma boa saída é dizer que saiu da empresa por estar em busca de novos desafios profissionais.

#05 -Mentir sobre suas qualificações: É o mesmo que dar corda para se enforcar! Inventar cursos, referências e pequenos sucessos colocam o candidato numa situação vulnerável porque, caso seja contratado, terá de sustentar essa inverdade por muito tempo. E como diz o ditado: mentira tem perna curta, hora ou outra seu deslize será descoberto. Aí o prejuízo será bem maior. Uma vez que seu superior descobrir que você não tem as habilidades destacadas na entrevista, perceberá que seu perfil não atende às necessidades da empresa, e mais, que errou ao apostar em sua seleção. Ao ser contratado, o indivíduo precisa ter claro que convenceu o recrutador de possuir determinadas competências. Ao mentir, não só estará provando que não as tem como atestará sua falta de caráter ao faltar com a verdade. Isso deixará o recrutador descontente duas vezes e poderá resultar em demissão comprometendo, inclusive, futuras recomendações.

#04 -Expressar-se mal, com gírias e frases sem sentido: O discurso mais adequado para uma entrevista é aquele em que o candidato consegue ser objetivo, responder as perguntas do entrevistador, expor seu ponto de vista quando é convidado a fazer isso e perguntar, com tato, detalhes sobre a vaga. No meio do caminho, porém, é muito comum que os candidatos façam uso de gírias e regionalismos na hora de tirar suas dúvidas. O linguajar é um detalhe importante, dependendo das expressões utilizadas, o discurso demonstra certa imaturidade do candidato. O ideal é responder as perguntas com calma, ter tempo para pensar e expor suas idéias com tranqüilidade. Este, aliás, é outro problema grave de muitos discursos. Tem candidato que fica tão nervoso na hora da entrevista que dispara a falar e quando percebe já mudou de assunto e não respondeu a pergunta do entrevistador. Isso é muito ruim, já que o ritmo da entrevista é um fator importante.

 

#03 -Não saber nada sobre a empresa ou o setor: É muito comum que os candidatos partam para a entrevista de emprego sem saber sobre a empresa em questão ou sobre o setor em que ela está inserida, quando na verdade, ele deveria estar munido do maior número de informações possível. Se a empresa de recrutamento não divulgar qual é a companhia que está em busca de candidatos, ela deverá, ao menos, informar sobre o setor. Tem mais chance de sucesso o candidato que sabe se posicionar na entrevista porque domina o assunto trabalho, em detrimento daquele que não se deu ao trabalho de pesquisar mais sobre a empresa em questão. Sempre repito isso para meus alunos: informação nunca é demais.

 

#02 -Usar roupas informais demais: Hoje em dia, os jovens são muito despojados. Na faculdade, não há nada de mal nisso. Agora, para a entrevista de emprego, não custa melhorar um pouco o visual. Isso não quer dizer que todo candidato a estágio ou jovem recém-formado deva vestir terno e gravata ou, no caso das meninas, tailer e scarpin. ? preciso saber escolher a roupa e adequar o vestuário a cada tipo de empresa. Uma agência de publicidade, por exemplo, permite um visual mais informal. Agora, se a entrevista é para uma instituição financeira, é óbvio que o candidato terá de seguir a regra básica: esporte fino. Lembre-se: o que deve prender a atenção do entrevistador é o seu conteúdo e não a ‘embalagem’, portanto, jamais vá para a entrevista de chinelo, regata, roupa decotada, barriga aparecendo, saia curta ou short.

 

#01 -Chegar atrasado: Além de desorganização, demonstra que o candidato não está dando o devido valor à entrevista. A displicência com o horário mostra que você não priorizou tal compromisso em sua agenda. Além disso, fazer uma pessoa esperar é falta de respeito. Tempo é um recurso escasso, logo, deve ser bem aproveitado. Caso você, por algum motivo, atrase na entrevista, informe imediatamente o entrevistador. Verifique se é possível passar um candidato na sua frente, ou, se necessário, remarque a entrevista. Se você chegou no horário, mas tem compromisso para mais tarde o ideal é avisar o entrevistador de antemão. Não faça a entrevista na correria para não se sentir pressionado. Isso pode prejudicar seu desempenho.

Via: Universia

Alguns pequeninos e outros nem tanto assim…

Espero que as dicas sejam úteis e que ajude vocês a serem bem sucedidos nas próximas seleções!

Beijos.

5 Comentários
!-- WP FOOTER -->