01
Jun

O medo europeu: a bactéria E. Coli

Polêmica S.O.S

A crise dos pepinos está a provocar tensões em todos os ramos europeus, sendo eles: alimentares, económicas e até mesmo, diplomáticos.

Berlim acusou os pepinos espanhóis de serem o vetor de contaminação com uma bactéria; A Espanha por sua vez alega o contrário, referindo que análises feitas nos produtos. Tanto, que o vice-primeiro-ministro espanhol Alfredo Rubalcaba confirmou que Madrid intensiona processar a Alemanha.

Enquanto se procura o verdadeiro culpado pela “bactéria assassina”, um tipo agressivo da Escherichia Coli – mais conhecida como colibacilo – os agricultores espanhóis dizem estar a perder cerca de 200 milhões de euros por semana. “Espero que este problema esteja resolvido dentro de 10 a 15 dias para tentarmos salvar 30 % do investimento, pelo menos para cobrir o valor das sementes porque os outros gastos já não recuperamos”, diz um sindicalista de Múrcia.

A crise também está a colocar milhares de postos de trabalho em risco num país que tem o nível mais elevado de desemprego da União Europeia porem, o grande motivo de preocupação é mesmo a saúde. Já morreram 16 pessoas e mais de mil outras ficaram infetadas, em especialmente na Alemanha.

Afinal, o que é essa bactéria E. Coli? - O Escherichia coli (abrevia-se E. coli) é um grupo grande e diverso de bactérias. Embora a maioria das variedades de Escherichia coli sejam inofensivas, outras podem provocar doenças. Alguns tipos de Escherichia coli podem causar diarréia, enquanto outros provocam infecção urinária, doença respiratória, pneumonia e outras doenças.
Há ainda outros tipos de Escherichia coli que são usados como marcadores de contaminação na água. Você pode escutar sobre achado de Escherichia coli na água para beber, a qual por si mesma pode ser inofensiva, mas é indicador de contaminação.

Quem é infectado por Escherichia coli – Pessoas de qualquer idade podem ser infetadas. Crianças muito pequenas e idosos são mais propensos a desenvolver doença séria e síndrome hemolítico-urêmica, mas até crianças mais velhas e adultos jovens podem ficar seriamente doentes.

Sinais e sintomas de infecção – Os sintomas de infecção por Escherichia coli Shiga Toxigênicas (que produzem um ou mais tipos de toxina denominadas toxina Shiga 1 e 2) variam de pessoa para pessoa, mas freqüentemente incluem cólicas estomacais severas, diarréia (freqüentemente com sangue), e vômito. Se houver febre, ela geralmente não é muito alta, menos de 38,5˚C. A maioria das pessoas fica melhor dentro de 5 a 7 dias. Algumas infecções são moderadas, porém outras são graves e até ameaçam a vida.

Complicações de infecções – Em torno de 5 a 10% das pessoas com infecção por Escherichia coli Shiga Toxigênicas desenvolvem uma complicação potencialmente fatal conhecida como síndrome hemolítico-urêmica. Sinais de que a pessoa está desenvolvendo síndrome hemolítico-urêmica incluem diminuição na freqüência da urinação, sensação de muito cansaço, e cor rosada nas bochechas e dentro das pálpebras inferiores. Pessoas com síndrome hemolítico-urêmica devem ser hospitalizadas porque os rins podem parar de funcionar ou desenvolver outros problemas sérios.
A maioria das pessoas com síndrome hemolítico-urêmica se recupera dentre de algumas semanas, porém algumas pode sofrer danos permanentes ou até morrer.

Como a infecção se espalha – As infecções por Escherichia coli Shiga Toxigênicas começam quando a pessoa engole as bactérias, em outras palavras quando entram pequenas quantidades (geralmente invisíveis) de fezes humanas ou animais na boca. Infelizmente isso acontece com mais freqüência do que se imagina. Exposições que resultam em doença incluem consumo de comida contaminada, leite não pausterizado, água não desinfetada, contato com gado, ou contato com fezes de pessoas infectadas.

Diagnóstico de infecção por Escherichia coli Shiga Toxigênicas - são geralmente diagnosticadas por teste laboratorial de fezes. Identificar a variedade específica de Escherichia coli é muito importante para propósitos de saúde pública.

Tratamento para infecção – O tratamento com terapia não específica, incluindo hidratação, é importante.
Antibióticos não devem ser usados no tratamento. Não existe evidência que tratamento com antibióticos ajude, e o uso poderia elevar o risco de síndrome hemolítico-urêmica. Agentes contra a diarréia, como Imodium®, também poderiam elevar esse risco.

Prevenção de infecção por Escherichia coli Shiga Toxigênicas - Podem ser prevenidas das seguintes formas:

- Lavar as mãos cuidadosamente depois de usar o banheiro, trocar fraldas, e antes de preparar ou comer alimentos;
– Lavar as mãos depois de contato com animais em seu ambiente (fazendas, zoológicos, feiras);
– Evitar laticínios não pasteurizados;
– Evitar engolir água ao nadar em lagos, represas e piscinas.

Pois é, mesmo sendo um problema aqui da Europa, devemos tomar cuidado em qualquer parte do mundo!

Beijos.

21 Comentários
06
Mai

Mais uma de Lady Gaga: Novo clipe, Judas

Polêmica

E acaba de ser lançado o novo e polémico clipe da excêntrica Lady Gaga, Judas.

Desde antes do lançamento oficial, tanto a música quanto o clipe causa um mal-estar religioso, onde a cantora americana encarna Maria Madalena, discípula de Jesus Cristo, considerada santa por diversas igrejas.
A Liga Católica para Direitos Religiosos e Civis deve se reunir para organizar uma acção contra o videoclipe.
Por minha conta, e depois de assisti-lo inumeras vezes encontrei algumas cenas, as quais pesquisei sobre seus significados simbólicos e/ou religiosos, e o resultado final foi mais ou menos esse:
.
Apóstolos  motoqueiros: a rebeldia;
.
.
Gaga como Maria Madalena: que ao decorrer do clipe se torna a traidora de Jesus e por fim é apedrejada;
.
.
Local combinado: se transformou em uma festa, com brigas, traições…
.
.
Lavando os pés: Que segundo a igreja católica significa a purifição para uns aos outros, suportando-nos mutuamente e aceitando ser suportados pelos outros; purificar-nos uns aos outros nos doando reciprocamente a força santificadora da Palavra de Deus e introduzindo-nos no Sacramento do amor divino;
.
.
Fogo: O fogo consume, aquece, ilumina, mas também pode trazer morte e dor; e por isso seu simbolismo pode variar muito dependendo do contexto em que ele é usado. Ele é muito usado como um símbolo de inspiração como também é um símbolo predominante do inferno. O fogo é um dos quatro elementos que o ser humano pode produzir, fazendo uma conexão entre os mortais e os Deuses. A maioria dos rituais envolvem uma chama eterna, e acender um fogo é equiparado com o nascimento e ressurreição. Pode ainda representar iluminação espiritual, sexualidade e fertilidade;
.
.
Ondas fortes: sempre associada a ausência de Deus…
.
.
Tanto a música quanto o clipe, teve data para seu lançamento próximo das celebrações da Páscoa, coincidência? E, por sua vez o director do clipe Laurieann Gibson se defendeu ao afirmar que a produção vai “mudar o mundo”, mas não se trata de uma blasfémia
Ahm, AQUI tem a tradução da música também, e abaixo mais algumas cenas do clipe:
.
.
Na minha opinião sincera, é mais uma polémica chocante da Gaga. Não acho nada legal ela insistir em tocar nesse tema, afinal “religião, política e futebol são coisas que não se discutem”.
E vocês, o que acham??
Nota: Meus pais são super católicos, e ontem quando mostrei o clipe para eles pedindo para que me ajudassem a interpretá-lo, foram super contra de posta-lo. Mas eu teimosa que sou, achei legal trazê-lo pra vocês, para vermos juntos se é coisa da minha cabeça tudo isso ou se ela abusou mais um pouco dos limites, rs.
Beijos.

14 Comentários
27
Abr

Era uma vez: As princesas do século XXI

Polêmica

Com o casamento do ano mais aguardo e comentado por todo o mundo, o do principe Willian com a plebéia Kate Middleton levanta a questão: Será que o “felizes para sempre” existe mesmo? Será que o sonho de toda a menina, em se tornar princesa e viver um eterno conto de fadas é mesmo real; Ou será tudo pura ficção, criada pelos livros e filmes infantis?

Separei algumas princesas do mundo real, e acreditem não é bem como assistimos em Cinderela…

.


Princesa Madeleine, Suécia: É a princesa da Suécia. Com 28 anos de idade, ela é a mais jovem integrante da família real sueca e terceira na linha sucessória ao trono. Uma filantropa, ela regularmente chama a atenção para as questões globais, inclusive participando de iniciativas da UNICEF. Além disso, seus belos olhos azuis e paixão pela moda lhe renderam uma vaga na lista das 20 Jovens Reais Mais Quentes, pela Revista Forbes.

Polémica: A filha do rei Carl XVI Gustaf, da rainha Silvia (que viveu por dez anos no Brasil), e Jonas Bergstroem advogado quatro anos mais velho, romperam seu noivado, após relacionamento de oito anos: “A princesa Madeleine e Jonas Bergstroem decidiram tomar caminhos separados. Eles consideram que a melhor coisa é seguir caminhos diferentes”, informou o palácio em comunicado. A casa real sueca havia anunciado em 11 de agosto de 2009 o compromisso da princesa Madeleine com Bergstroem. A princesa e o advogado pediram à imprensa que demonstre respeito e consideração, já que “precisam de calma e paz nesta situação difícil”. Os rumores de crises entre o casal tinham sido constante na imprensa sueca, levando a Rainha Silvia a comunicar o então casamento, anunciado em 2010. Em histórias recentes, Bergström teria “escapadas noturnas”, e confissão de uma jovem modelo norueguesa alegado romance com o jovem durante um ano, o qual não foi negado e alimentaram as especulações sobre o futuro da relação de que, até poucos meses parecia perfeita.

.

Princesa Sikhanyiso, Suazilândia: Princesa rebelde de temperamento forte e constante desobediência.

Polémica: Sua ruptura constante das normas e comportamento franco deram a ela o rótulo de “criança selvagem” e diversas brigas. Mas, que seus pais reais conseguiram colocá-la na linha, no entanto, ainda é uma dúvida. Ela também é uma aspirante a atriz e rapper.

.

Letizia Ortiz Princesa das Astúrias, Espanha: É uma ex-jornalista espanhola, actual esposa do herdeiro da Coroa de Espanha, o Príncipe das Astúrias Filipe de Bourbon. É portanto: A princesa herdeira consorte do Reino de Espanha, recebendo os títulos de Princesa das Astúrias, de Girona e de Viana, Duquesa de Montblanc, Condessa de Cervera e Senhora de Balaguer.

Polémica: É noticia pela constante mudança de visual e uma biografia não autorizada. O livro, “Una republicana en la Corte del rey Juan Carlos” que já chega a sua terceira edição, tem despertado grande curiosidade devido às histórias sobre os alegados consumos de drogas, um aborto no México e uma militância republicana, por parte da princesa das Astúrias.

.

Princesa Iman bint Al-Hussein, Jordânia: Quando o assunto é belas princesas e rainhas, o reino da Jordânia nunca deixa de impressionar. A princesa Iman bint Al-Hussein, a filha do falecido rei Hussein, não é exceção. Sua beleza permanece incontestada no mundo árabe

Polémica: O fato de que ela serviu no exército jordaniano, mostra que ela não tem medo de desafios.

.

Princesa Charlotte de Hanôver, Monaco: É filha de Caroline, princesa de Hanôver e neta da lenda de Hollywood, Grace Kelly. Ela é a quarta na linha de sucessão ao trono de Monaco.

Por detrás da coroa: Além de ser uma princesa, ela também é escritora e já trabalhou em muitas prestigiosas publicações britânicas, incluindo na revista Another e no jornal The Independent.

.

E viveram felizes para sempre?

Beijos.

7 Comentários
19
Abr

A grande diferença entre: Necessidade e Futilidade

Polêmica

Mesmo este assunto estando pra lá de mencionado na mídia web, não posso deixar de também comentá-lo tamanha é minha revolta e indignação…

No inicio da evolução de nossa espécie, onde viviamos em cavernas e utilizavamos peles como unica forma de vestimenta para nos proteger e aquecer, era valido usá-las; mas hoje nos dias actuais e em um país de CLIMA TROPICAL, o sofrimento e a matança de pobres animais, seria mesmo necessária?

Penso que, uma coisa é consumirmos carne por subsistência, uma vez que nosso corpo necessita de proteinas (formadas por uma cadeia de aminoácidos, são moléculas essenciais para manter a estrutura e funcionamento de todos os organismos vivos e podem ter diferentes propriedades e funções. Das 20 aminoácidos, o nosso organismo não consegue fabricar 9, que devem ser supridos pela dieta e são obtidas mais facilmente sob forma animal – Sendo elas: Carne bovina, suína, frango, peixe, ovos, leite) e outra é utilizarmos casacos, sem nenhuma necessidade em nosso clima abençoado, apenas para “massagear” nosso ego e vaidade.

No mercado actual, encontramos peças de muito bom gosto, igualmente quentes e confortáveis, sejam elas com pêlos sintéticos/pelúcias ou mesmo outros materiais, sem para isso ter que matar animais a sangue frio.
Como exemplo cá em Portugal, que no último irverno registrou -5º, não se vê a venda abertamente peças naturais de animais.

Apos uma grande mobilização via Twitter e Facebook, o presidente da marca Arezzo, Anderson Birman (que lançou a pele exótica de coelho e rapoza, em sua coleção 2011) preferiu recuar, retirando de circulação, todos os produtos com pele de raposa.

A ter que debater sobre o uso de pele de animal, alega que a coleção denominada “Pelemania” não é uma moda lançada pela marca, mas uma tendência mundial para o inverno 2011, anunciando em seu Website Oficial “Hit glamuroso da temporada. Não pode faltar no guarda-roupa da fashionista”.

Disse ainda, em entrevista ao jornal Folha: “A pele de raposa usada nos produtos é de criadouro, não é de animal selvagem, não trazendo nenhum dano a natureza, isso se dá a sustentabilidade, o uso gerenciado e controlado (…) Nosso entendimento é que todo animal que está na cadeia alimentar, não tem como. Você vai a um restaurante e come coelho no mundo inteiro. É produção de proteína animal, é uma coisa que tem quem goste e quem não goste, mas está na origem do ser humano. E tem o uso da pele de ovelhas também, é um uso milenar”. E por fim porem não menos polémico, disse: “Toda essa confusão é fruto da internet”.

Na minha humilde opinião, não há desculpas que se apliquem a este ato horrendo e para mim futil, que é a matança de um ser vivo apenas para sustentar a vaidade humana.
E sobre a cadeia alimentar:  em paises como a China, incluiram em sua alimentação carnes como a de cão e até mesmo fetos humanos. Sendo assim, utilizar casacos, bolsas e sapatos com “couro” humano também será válido?

Então apenas mais alguns dados para nos fazer refletir ainda mais sobre o assunto:

Número de Animais e média em horas que ficam sofrendo na armadilha, necessários para 1 casaco de pele médio/normal:

125 arminhos;
100 chinchilas;
70 martas-zibelinas (3.000 horas);
50 martas canadianas (3.000 horas);
30 ratos almiscarados (1.500 horas);
30 sariguéias;
30 coelhos;
27 guaxinins (2.400 horss);
16 coiotes (960 horas);
14 lontras (1.200 horas);
11 raposas douradas (2.520 horas);
11 linces (1.080 horas);
9 castores (225 horas).

“A vida é valor absoluto. Não existe vida menor ou maior, inferior ou superior. Engana-se quem mata ou subjuga um animal por julgá-lo um ser inferior. Diante da consciência que abriga a essência da vida, o crime é o mesmo.” Por: Olympia Salete.

Beijos.

20 Comentários
08
Abr

Kurt Cobain – 17 anos de muitos mistérios

Músicas Favoritas Polêmica

“As maiores loucuras são as mais sensatas alegrias, pois tudo que fizermos hoje ficará na memória daqueles que um dia sonharão em ser como nós: Loucos, porém, FELIZES…”

Acho que é impossível falar de Rock, sem ao menos citar a banda Nirvana, e seu polêmico vocalista, Kurt Cobain, o “porta-voz” de uma geração e encontrou o sucesso, popularizando um sub gênero do rock alternativo chamado Grunge.

Filho de pais separados, os quais passaram a encontrar novos parceiros após o divórcio; detalhe esse que marcou profundamente sua vida, deixando marcas. Segundo ele em uma entrevista em 1993: “Lembro-me envergonhado, por alguma razão. Eu tinha vergonha dos meus pais. Eu não poderia enfrentar alguns dos meus amigos na escola mais, porque eu desesperadamente queria ter o clássico, você sabe, a família típica. Mãe, pai. Eu queria a segurança, assim eu me ressenti com meus pais por alguns anos por causa disso”.


Foi viver então com a “nova” familia do pai. Cobain gostava de sua madrasta a princípio, pois lhe dava a atenção materna que ele desejava. Porem isso logo mudou… Por ser filho único, queria receber toda a atenção e não dividi-la com seus “novos” irmãos; por isso então, começou a expressar seu ressentimento com a madrasta.

E sua mãe, começou a namorar um homem que a abusava, tendo Kurt inclusive, testemunhado  violência doméstica contra ela.

Enquanto isso, sua personalidade de continuou a mudar, praticando inclusive, bullying contra outro menino na escola. Eventualmente, seu pai o levou a um terapeuta, que concluiu que estava precisando de uma única família. Ambos os lados da família tentaram se unir, porem sem sucesso.

A mãe de Cobain concedeu a custódia total do filho a seu pai. Mas, por sua constante rebeldia adolescente para seu pai, Cobain foi colocado sob os cuidados de seus diversos amigos e familiares.

Enquanto convivia com a família cristã do seu amigo Jesse Reed, Cobain se tornou um devoto da igreja cristã e a frequentava regularmente. Mas, renunciou ao cristianismo durante o início da adolescência, engajando-se em o que seria descrito como discursos “anti-Deus”. A música “Lithium” é sobre a sua experiência de vida com a família de Reed.


Porem, a religião continuava a desempenhar um papel importante na vida pessoal e em suas crenças. Costumava levar imagens cristãs em seu trabalho e manteve um interesse constante no jainismo e na filosofia budista.
Tanto que, o nome da banda Nirvana foi tirado do conceito budista, que Cobain descreveu como “a liberdade da dor, do sofrimento e do mundo externo”, que em paralelo com a ética é a ideologia punk rock.

Referia a si mesmo tanto como um budista quanto jainista durante os diferentes pontos de sua vida, inclusive através assisitindo documentários de televisão tarde da noite sobre os dois assuntos.

Cobain fez amizade com um aluno homossexual na escola, às vezes sofrendo bullying de estudantes homofóbicos que concluiam que Cobain também era gay. Em uma entrevista de 1993, afirmou que era gay “em espírito” e que “provavelmente poderia ser bissexual”.
Afirmou também que ele usou um spray para pintar “Deus é Gay” em picapes na área de Aberdeen. No entanto, os registros da polícia de Aberdeen mostra que a frase que resultou em sua prisão foi na realidade “Ain’t got no how watchamacallit”.  Em um de seus diários pessoais disse: “eu não sou gay, embora eu desejasse ser, só para irritar esses homofóbicos”

Durante o segundo semestre do seu segundo ano, Cobain passou a viver com sua mãe e duas semanas antes da formatura, ele saiu da escola depois de perceber que ela não tinha créditos suficientes para pós-graduação.
Sua mãe então lhe deu uma escolha: encontrar um emprego ou sair; Mas, depois de uma semana, embalou suas roupas e outros pertences em caixas de mudança e foi banido da casa por sua mãe, se mantendo em casa de amigos ou por vezes, se escondendo no porão da casa de sua mãe.

Afirmou que durante os períodos de tempo sem-teto, vivia debaixo de uma ponte sobre o Rio Wishkah, uma experiência que inspirou a faixa “Something in the Way” do álbum Nevermind.

No final de 1986, pela primeira vez, mudou-se para um apartamento e pagava seu aluguel, trabalhando em um resort em Aberdeen. Durante este período, viajou com frequência, e durante suas visitas a Olympia, serelacionou com Tracy Marander, que supostamente foi o tema da música “About a Girl”, e está listado nos créditos de fotos no álbum Bleach.

Com o fim do relacionamento e tempos mais tarde, conheceu Courtney Love, precisamente em 12 de janeiro de 1990, numa discoteca em Portland; quando os dois ainda tinham bandas de rock underground. Love tentava se aproximar, mas Cobain não corespondia, á principio.
No início de seu namoro, Cobain não foi a encontros e ignorou os avanços de Love porque ele não tinha certeza se queria um relacionamento. Chegou a dizer: “Eu estava determinado a ser um solteirão por alguns meses […] Mas eu sabia que eu gostava tanto de Courtney que era uma luta muito difícil ficar longe dela por tantos meses”. Courtney Love o viu pela primeira vez uma performance em 1989 em um show em Portland, Oregon; se falaram brevemente após o show e Love logo se apaixonou por ele. No outono de 1991, os dois foram vistos muitas vezes juntos e ligados, através do uso de drogas.

Na época de uma das perfomance do Nirvana para um no programa de TV, em 1992, Love descobriu que ela estava grávida de Cobain. Em 24 de fevereiro de 1992, poucos dias após o término da turnê do Nirvana, se casaram na praia de Waikiki, no Havaí.
Love usou um vestido de cetim e renda, que tinha sido da atriz Frances Farmer, e Cobain usava um pijama verde, porque ele tinha tido “muita preguiça em vestir um smoking”.

Em entrevista, Love revelou a oposição ao casamento de diversas pessoas: “Kim Gordon disse: “Se você se casar com ele sua vida não vai acontecer. Ele vai destruir a sua vida!” Mas eu disse: “Seja como for, eu o amo, e quero estar com ele!… Não foi culpa dele. Ele não estava tentando fazer isso.”. Semanas depois, Cobain disse em entrevista que “nos últimos dois meses fiquei noivo e minha atitude mudou drasticamente. Eu não posso acreditar o quanto estou feliz. Às vezes até me esqueço que estou em uma banda, eu estou tão cego pelo amor. Eu sei que soa constrangedor, mas é verdade. Eu poderia desistir da banda agora mesmo. Não importa, mas estou sob contrato.”

Em 18 de agosto, a filha do casal, Frances Bean Cobain nasceu.

Em um artigo de 1992, Love admitiu ter usado heroína durante a gravidez sem saber. Love afirmou que a revista tinha feito uma citação errada, mas o caso gerou controvérsia para o casal. Embora o romance de Cobain e Love sempre tenha sido uma atração pela mídia, eles viram-se perseguidos por repórteres de tablóides depois que o artigo foi publicado, muitos querendo saber se Frances era viciada em drogas desde o nascimento.
O Los Angeles County Department of Children’s Services chamou Cobain à corte, alegando que pelo uso de drogas, o casal se tornou pais inaptos. Com duas semanas de idade, a guarda de Frances foi transferida para a irmã de Courtney, Jamie, por várias semanas até que o casal obteve a custódia em um acordo de troca, onde se submeteriam a exames de urina e visitas regulares a partir de um assistente social. Depois de meses de disputas judiciais, a custódia total da filha foi finalmente concedida.

Após uma parada da turnê na Alemanha, em  1994, Cobain foi diagnosticado com bronquite e laringite. Ele viajou para Roma no dia seguinte para tratamento médico, e encontrou com sua esposa em 3 de março. Na manhã seguinte, quando Love acorda, percebe que Cobain teve uma overdose graças a uma combinação de champanhe e Rohypnol. Cobain foi imediatamente levado para o hospital, e passou o resto do dia inconsciente. Após cinco dias no hospital, Cobain foi liberado e voltou para Seattle. Love disse que o incidente foi a primeira tentativa de suicídio de seu marido. Em 18 de março, Love telefona para a policia para informá-la que Kurt era um suicida e que tinha se trancado em um quarto com uma arma. A polícia chegou e confiscou várias armas e uma garrafa e pílulas; ele que insistiu que não era um suicida e que tinha se trancado no quarto para esconder-se de Love.
Interrogada pela polícia, Love disse que Cobain nunca tinha mencionado que ele era um suicida e que nunca tinha o visto com uma arma.

Love consegue organizar uma intervenção sobre o uso de drogas de Kurt, no dia 25 de março. As dez pessoas envolvidas na intervenção incluíam amigos do músico, executivos da gravadora, e um dos amigos mais íntimos de Kurt, Dylan Carlson. A intervenção não teve sucesso inicialmente, com uma explosão de raiva, insultos e desprezo de Cobain sob os participantes, logo depois, o músico tranca-se no quarto do andar de cima.
No entanto, até ao final do dia, Cobain tinha concordado em submeter-se a um programa de desintoxicação.Chegou ao Centro de Recuperação, 30 de março. Os funcionários do estabelecimento não sabiam do histórico depressivo de Kurt e de suas tentativas anteriores de suicídio. Quando visitado por amigos, não havia nenhuma indicação para eles de que Cobain estava em qualquer tipo de estado negativo ou suicida. Cobain tinha passado o dia conversando com seus conselheiros sobre o seu vício de drogas e problemas pessoais, e brincou com sua filha Frances durante sua visita, o último dia que ela veria seu pai.

Na noite seguinte, Kurt saiu para fumar e, em seguida, pulou um muro de seis metros de altura para deixar a instalação (do qual ele brincou no início do dia que seria estúpido tentar pular). Ele pegou um táxi para o aeroporto de Los Angeles e voou de volta para Seattle, vôo este onde estava sentado ao lado de Duff McKagan do Guns N’ Roses. Mesmo após as constantes desavensas entre Nirvana e Guns, e mesmo pessoal de Cobain à Axl Rose, Kurt Cobain “parecia feliz” em ver McKagan que, mais tarde disse saber “com todos os meus instintos que algo estava errado”.

Ao longo dos dias 2 de abril e 3 de abril, Cobain foi visto em diversas localidades ao redor de Seattle, mas a maioria de seus amigos e familiares não tinham conhecimento de seu paradeiro. Ele não foi visto em 4 de abril. Em 3 de abril, Love contactou um detetive privado, o contrando para encontrar Cobain. Em 7 de abril, em meio a rumores Nirvana iria se separar, a banda saiu do festival de música anual de Lollapalooza.

Em 8 de abril de 1994, o corpo de Cobain foi descoberto em sua casa, por um eletricista que tinha chegado para instalar um sistema de segurança. Apesar de uma pequena quantidade de sangue que saia da orelha de Cobain, o eletricista relatou não ter visto qualquer sinal visível de trauma e, inicialmente, acreditava que Cobain estava dormindo, até ver a arma apontanda para o queixo. Uma nota de suicídio foi encontrada, dirigida ao amigo imaginário de infância de Cobain, chamado “Boddah”, que dizia em parte, “Eu não tenho sentido a excitação de ouvir, bem como criar música, junto com que realmente escrevo… por muitos anos agora”.
Uma alta concentração de heroína e vestígios de Valium também foram encontrados em seu corpo. O corpo de Cobain tinha ficado deitado lá por dias, o relatório do legista estimou que Cobain tinha falecido em 5 de abril de 1994.

Porem, o Detetive Tom Grant, apresenta uma outra teoria: Cobain foi assassinado!

Acredita nisso pois no local do crime, havia pouco sangue espalhado perto do corpo.
O que não seria improvável pois ao atirar conta a cabeça ali naquele local concerteza voaria muito sangue e não foi o que aconteceu. Tese que é contestada por Nick Broomfield;

Uma ex-empregada que teria se demetido dias antes da morte de Kurt disse em uma reportagem que Courtney comentava sobre “testamento”;

O cantor de rock El Duce foi atropelado por um comboio trem, dias após dar uma entrevista dizendo que Coutney Love teria oferecido a ele 50 mil dolares para matar Kurt Cobain, mas ele não aceitou. Depoimento esse que se comprovou pois ele teria sido submetido a um detector de mentira, usado pelo FBI.

Outra evidencia é a procuradora de Cobain que suspeita que Courtney teria mandado alguém o matar, pois ela diz acreditar ele nunca foi suícida e contou que no dia de sua morte, Courtney estava em Los Angeles sem nenhum motivo aparente;

Ao fazer a autopsia foi registrado 1.52mg de heroína a cada litro de sangue de Kurt, o que seria fatal a qualquer pessoa normal pois pararia o organismo em questão de segundos. Alegação confirmada por vários médicos.

Muita coisa se diz sobre as circustâncias que levaram à morte de Kurt, mas há dez fatores que podem ter levado Kurt ao suicídio:

1- Drogas: aos sete anos Kurt já tomava tranquilizantes e antidepressivos. Provavelmente vem daí sua propensão para a dependência quimica, inclusive heroina;

2- Fruto de um lar desfeito: Já que Kurt cresceu infeliz empurrado de um parente para outro. E provavelmente, nunca ter superado a separação dos pais;

3- Anticorporativista xiita, ele só acabou rendendo a Geffen a “bagatela”de 50 milhões. Pode também ter sido atormentado por causa disso.

4- Como dizia: “Ser famoso, pra mim é viver em paranóia, com todos me invadindo o tempo todo”.

5- O músico era patalógicamente depressivo, desde a infância.

6- O fato de ter virado celebridade o fez reviver outro clichê do Rock: Perda de contato com a maioria dos amigos antigos, que continuaram em Seattle.

7- Kurt e Courtney viviam uma relação de amor e ódio, comparável a de Sid Vicious (ex- Sex Pistols) e Nancy Spugen;

8- Após inúmeras visitas aos especialistas, suas interminaveis dores de estomago foram diagnosticadas como um possivel reflexo da escoliose na coluna. Provavelmente, sua postura semi-curavada afectava um nervo ligado ao sistema digestivo, e causava dor. Durante os shows, seu corpo fabricava endorfina suficiente para aplaca-la. No final do show, quando se jogava sobre os instrumentos, Kurt demonstrava que não estava sentindo dor alguma.

9- Se sentia extremamente culpado por não sentir mais prazer em ouvir e em fazer música: O que afetava tremendamente sua relação com o público, imprensa e pessoas em geral.

10- Como muitos gênios sentia reflexo de sua hipersensibilidade: Brilhantemente inteligente, poderia ser ou fazer o que quisesse. Como outros, preferiu “ir embora” que viver incompreendido.

E vocês, o que acham?
Eu tenho minhas dúvidas, mas…

Notas: Desculpem o post ter sido maior que o habitual, mas o assunto pede todos esse detalhes; Dizem que sua biografia será transformado em filme, adaptado do livro: Mais pesado que o céu.

Esta é uma homenagem de Jared Leto à Kurt; como ficou parecido, não? Rs

Beijos.

22 Comentários
!-- WP FOOTER -->