14
Nov

#Critica: Argo

Jéssica Pagliai @ Cinema


Based on a declassified true story…

Ben Affleck dirige e protagoniza o mais recente thriller político Argo, recheado de grandes atores, onde cada contribui para deixar este filme incrivelmente comovente. É baseado em uma história até então pouco conhecida passada durante a revolução iraniana de 1979 e 1980. Argo segue a história inacreditável e verdadeira do grupo de americanos que encontrou abrigo na residência do embaixador do Canadá no Irã quando a revolução chega a um ponto de ebulição. Ao mesmo tempo em que a CIA trabalha num plano arriscado para tentar tirá-los do país…

Mais de 60 americanos da embaixada dos EUA foram mantidos como reféns, porem seis deles escaparam e se esconderam na casa do embaixador canadense Victor Garber. Tony Mendez Bem Affleck, um especialista da CIA cria um plano para resgatar esses americanos… Depois de falar com seu filho enquanto assistia a um filme durante a noite, Mendez teve uma idéia criativa e perigosa: Ele e os reféns fingiam ser a equipe de filmagem de um filme de ficção científica chamado “Argo”. Com a ajuda do grande maquiador Hollywood, John Chambers John Goodman e o produtor Lester Siegel Alan Arkin tem como objetivo criar e produzir o falso filme, o tornando então uma história credível. Um homem que arrisca sua própria vida e de carreira para a vida de seis estranhos… A história de ver seu plano inacreditável vir à vida por si só é intrigante e ainda, o filme proporciona alguns momentos realmente engraçados, sem fugir da tenção e confundir o género ao qual pertence.

Cada frame parece autêntico. Affleck, que recebeu apoio incrível para seu último esforço como diretor, The Town, mas agora nos passa a confiança de um maestro de topo. O filme alterna entre localidades do Irã, Hollywood e tanto a sede da CIA e até mesmo a Casa Branca nesta aventura brilhantemente criado.

Ele traz seu estilo de suspense com a imagem. A narrativa não é apenas direta mas também constrói a tensão de partida, explorando o que está acontecendo até que passa para a próxima ação. Nunca deixa de ser emocionante, o que chega a ser impressionante pois pode equilibrar as suas várias tonalidades decentemente sem ser uma bagunça. Fora da narração de histórias é uma arte sólida. O filme parece incrivelmente retro onde obviamente, queria e se faz tudo para recriar a história da vida real. O design de produção realmente capta a década de oitenta, com seus veículos, roupas e até nos bigodes e barbas. A câmera é instável e em grande escala, tornando o clímax emocionante absurdo.

As atuações são de altíssimo nível para todos os envolvidos, incluindo o próprio Ben Affleck, que tem alguns momentos impressionantes, e a dinâmica entre ele e a estrela de Breaking Bad, Bryan Cranston é perfeita criando uma dupla que tanto diverte, quanto mantem esta história no caminho certo. Ainda, a maior surpresa neste filme são as brilhantes e engraçadas ao mesmo tempo performances de John Goodman e Alan Arkin, que realmente reúnem todos os aspectos de Hollywood para o filme, e que sem dúvidas merecem ser reconhecidos. O olhar corajoso para este filme realmente ajuda a capturar o seu clima e o tom, enquanto combinado à atenção aos detalhes, ajuda a levá-lo para o período de tempo que ocorre…

Direção e atuações brilhantes, história e alguma diversão sci-fi leva Argo ao reino de um dos melhores filmes dos últimos tempos. Affleck prova mais uma vez que seu talento como diretor que não é por acaso, já que mais uma vez fez um trabalho espetacular dirigir este filme, que lindamente segue fiel a história tão inacreditável. Todo ator é convincente como seu personagem e o elenco foi impecavelmente escolhido! Argo é simplesmente um clássico, inegavelmente inteligente e espetacular.

Uma dica é ficar até o fim para assistir os créditos, pois são apresentadas algumas fotos reais  ao lado dos atores do filme…

Então para resumir: Nós já sabemos que Ben Affleck é melhor como diretor do que ator. Ele conta uma história exclusivamente com sua própria arte e estilo cinematográfico. E Argo, parece ser seu novo desafio: Fazendo um thriller dramático e histórico. O filme retrata a história com muito suspense e o talento de Affleck brilha mais uma vez com moderna e antiga vibe de Hollywood. O filme é ao mesmo tempo claro e escuro, engraçado e emocionante. Argo é inegavelmente divertido, atraente e emocionante.

Eu definitivamente recomendo este filme para todos…! Se você é um adulto que se lembra de ver isso na TV ou um garoto que não sabe nada sobre política… É extremamente dramático, emocionante, mas também hilariante em muitas ocasiões. É uma história incrível que merece ser ouvida…

 

Sua estreia aqui em Portugal foi no dia 08 de Novembro, e no Brasil em 09 de Novembro.

Beijos.

1 Comentário

 

Uma resposta a “#Critica: Argo”

  1. Bertone diz:

    O filme promete, pelo resumo deve ser muito bom.

Deixar uma resposta

!-- WP FOOTER -->