27
Jul

#Critica O Espetacular Homem-Aranha

Jéssica Pagliai @ Cinema


The untold story

Há apenas uma década atrás, Tobey Maguire trouxe o amigável Homem-Aranha para a telona num filme de sucesso de Sam Raimi, que gerou mais duas continuações e ganhou uma legião de fãs fiéis em todo o mundo… Pois é, foi Raimi quem me apresentou Peter Parker e seu mundo nerd e por isso eu sempre serei grata aos filmes! Mas, simplesmente não há como negar o fato de que The Amazing Spider- Man de Marc Webb ultrapassou em muito a versão original. Para algumas pessoas, é questionável Spider-Man ter uma reboot em tão pouco tempo, e alguns consideraram como um clássico mesmo não sendo muito fiel a sua origem como, Mary Jane já ser o interesse amoroso de Peter Parker de longa data o que não acontece dessa maneira nos quadrinhos… Porém, esta nova edição pretende ser muito mais fiel à história de dos HQ’s e o resultado é ótimo!

Bem, a história é bastante conhecida e no mesmo formato das anteriores: um interesse amoroso, poderes espetaculares, um vilão estranho… Peter Parker Andrew Garfield vai ao centro de pesquisas tentar descobrir um pouco mais de seu pai e e é mordido por uma aranha radioativa geneticamente modificada. Ele ganha super-poderes e se torna o Spider-Man. Enquanto isso, Dr. Curtis Connors Rhys Ifans, trabalha na mesma instalação onde Peter foi picado, e está sendo forçado a concluir suas pesquisas sobre regeneração de tecidos e membros. Numa crise de desespero, ele se utiliza como cobaia e injeta uma vacina não testada auto-regeneradora e, se torna uma o Lagarto metade homem e metade lagarto. O Homem-Aranha então é forçado a deter Dr. Connors e…

Ele nos leva numa viagem sentimental onde ao mesmo tempo que emociona, nos faz rir… É um pacote completo, habilmente dirigido por Marc Webb em apenas seu segundo longa-metragem. Como vimos em 500 Days of Summer, Webb tem uma abordagem mais realista e fundamentada em seres humanos, especialmente em seus relacionamentos. As pessoas ao redor Peter Parker sempre foram um componente-chave de toda a história do Homem-Aranha e isso não é esquecido por um momento único de tempo.

Pela segunda vez sendo a primeira no início deste ano com Os Vingadores, eu sinto que vi a um filme de quadrinhos onde todos os atores eram um ajuste perfeito para seus respectivos papéis.

As atuações foram muito boas! E a química entre os personagens era perfeita. Na minha humilde opinião, Emma Stone fez muito mais como Gwen Stacy, do que Kirsten Dunst como Mary Jane Watson na sequência anterior. Ela era doce, inteligente, adorável, com um caráter forte e finalmente não tivemos de suportar um filme onde todas as mulheres são completamente indefesas e precisam de socorro constante. Andrew Garfield é o perfeito Peter Parker. Todos os seus maneirismos, sua aparência, sua personalidade é perfeita como se tivesse saido direitamente das páginas dos quadrinhos. Rhys Ifans nunca deixa de impressionar, mesmo em filmes de outra forma pobres como Little Nicky. Ele realmente é um ator talentosíssimo. Tio Ben Martin Sheen age como um verdadeiro ser humano e tem qualidades realmente humanas… Mas o único personagem que não tinha uma dimensão adequada segundo foi o Dr. Ratha, interpretado pelo ator indiano Irrfan Khan mas com um motivo de que não era um personagem que Peter interagiram diretamente.

Este não é o seu filme típico de quadrinhos onde os heróis se atingidas por balas, carros e bad guys sem outros efeitos colaterais do que um tiro de reação rápida e ascensão na música. Ao longo do filme, Peter está machucado, cortado, espancado e ele todos os shows… Ele manca, perde o equilíbrio em edifícios, parece francamente SORER em metade de suas cenas. Ele é um homem e sangra como o resto de nós. Os visuais são mais práticos do que vimos antes pois a gravidade é uma coisa real no filme, balança não é flutua, e através de algum trabalho de câmera bonita e acrobacias, somos lembrados de que o Homem-Aranha não é o Homem de Ferro ou Superman… Ele não pode voar, os objetos têm incríveis propriedades físicas. Quando uma torre cai, você ter uma noção real de sua massa. O CGI está presente como sempre na nova era de filmes de ficção-fantasia, e não, ainda não olhar foto-realista mas a captura de movimentos é utilizado para o seu pleno potencial com a tecnologia de hoje e o mais importante como disse anteriormente, a física vem o mais próximo possível e começa a espelhar o nosso mundo real.

Ao contrário das originais histórias do Homem-Aranha, o uso de seus poderes não é tão simples quanto parece… Aqui, ele precisa de um dispositivo para tirar uma teia perfeitamente.

O filme tem bons efeitos, um vilão assustador e ameaçador, algumas boas sequências de ação e efeitos de balanço que são mais realista do que a versão Rami. E Parker é mais evidente científica e inteligente. Também a noção da polícia sobre o Homem-Aranha ser uma ameaça para o público é mais bem definida, especialmente na cena em que ele desarma um oficial.

Eu realmente gostei da direção, e com o 3D, é de fato impressionante. O trabalho de câmera era suave e realmente fez cada cena destacam-se especialmente aqueles que realmente mostraram o Homem-Aranha. Engraçado, charmoso, emocionante, sincero, e surpreendentemente fresco.

Então para resumir: Eu acho que a melhor comparação que se pode oferecer para este filme é agora lendário Christopher Nolan no reboot de Batman Begins. Foi Cavaleiro das Trevas que trouxa uma nova geração em uma forma mais fundamentada, para Bruce Wayne… The Amazing Spider-Man faz o mesmo para Peter Parker. Este é um Homem-Aranha onde quase se sente que o pode existir no mundo real… Um Peter Parker que, embora tecnicamente um nerd, está longe de ser covarde. Andrew Garfield, sem dúvida, merece o maior do crédito para o sucesso deste filme. Ele destaca a dualidade de Peter Parker e Homem-Aranha como Maguire nunca fez Homem-Aranha não sendo apenas Peter, sob uma máscara…

Além das atuações excelentes, porém, a verdadeira força do filme é derivada por um bom roteiro e uma direção brilhante por parte de Marc Webb. Enquanto as liberdades foram tomadas com o material de origem, Webb consegue ficar muito próximo ao espírito da história original. Enquanto o filme é uma história completa em si, há algumas tramas deixadas penduradas e mistérios esperando para serem resolvidos nas parcelas futuras inevitáveis. Então, os fãs de Spider de todo o mundo pode desfrutar desta maravilhosa carta de amor para Stan Lee e essa magnifica história, com mais de 50 anos!

Bonús:

E dizem que, o romance de Peter Parker e Gwen Stacy não ficou apenas no cinema… Será? Hehehe

Sua estreia aqui em Portugal foi no dia 05 de Julho, e no Brasil em 06 de Julho.

Beijos.

6 Comentários

 

6 respostas a “#Critica O Espetacular Homem-Aranha”

  1. Aline diz:

    Ótima sua crítica… O filme estava em cartaz no cinema da minha cidade, mas acabei não vendo… Meu amigo assistiu e achou ótimo!

  2. Melhor homem aranha ever!

  3. Martha diz:

    Estou muito afim de ver, dizem que é melhor que os anteriores e vendo pela sua resenha deu mais vontade ainda!!
    Beijos

  4. Núbia diz:

    Outra coisa que essa versão trouxe fiel dos quadrinhos é que as teias não saem de dentro dele e sim de cápsulas presas nos pulsos que foram inventadas por ele mesmo para disparar teias. Muito legal isso! Não se esqueça de acrescentar ao post! Bijinhus

  5. mercadee diz:

    Personagens de quadrinho nunca tinham rendido boas adaptações cinematográficas desde Superman – O Filme, lançado em 1978 e dirigido por Richard Donner. Além de ser um bom filme, rendeu um bom dinheiro nas bilheterias. Outros heróis ganharam a tela, como o Batman na década de 90. Os filmes começaram indo bem nas bilheteiras, com o diretor Tim Burton dirigindo os dois primeiros longas, Batman (1989) e Batman Returns (1992). Mas os fãs do homem-morcego execreram as produções e Tim Burton abandonou o barco. A qualidade das tramas que já era duvidável, desceu ladeira abaixo. Foram lançados mais 2 filmes, cada um pior que o outro: Batman Eternamente (1995) e Batman e Robin (1997). Ambos dirigidos por Joel Schumacher, conseguiram enterrar de vez o morcegão no cinema com um festival de atrocidades e constrangimentos. Só recentemente com Batman Begins (2005) e Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008) o personagem recebeu o merecido tratamento nas telonas.

  6. Órfão quando pequeno, Peter Benjamin Parker foi morar junto com seus tios Benjamin e May Parker em Forest Hills, Queens , na cidade de Nova York . O menino cresceu e se tornou um adolescente tímido, mas extremamente inteligente. Era muito desajeitado com as garotas e não tinha muitos amigos. Aos 15 anos, durante uma demonstração de equipamentos que manipulavam radiação , Parker foi picado por uma aranha de uma espécie cujo veneno, em situações normais, é inofensivo ao ser humano. Porém, ela havia sido exposta à radioatividade do aparelho e por isso a picada provocou impressionantes mutações na genética , metabolismo e biologia do organismo do jovem Peter. Na versão ultimate (ou Marvel Millenium, como é mais conhecida no Brasil) e no filme de 2002, Peter é picado por uma aranha geneticamente alterada.

Deixar uma resposta

!-- WP FOOTER -->