18
Set

O Boticário

Conto das marcas

E depois de tantos e tantos dias sem postar nada por aqui, não podia voltar de mãos abanando! Por isso, trago algumas novidade. Aquelas que tinha prometido aqui, lembram?

Mas para evitar mal-entendidos vou explicar um pouco sobre essa nova categoria do #jehjeh:

O grupo Troiano, em parceria com o IBOPE Inteligência, desenvolveu um estudo sobre a relação entre o consumo popular e as marcas. Foi realizado de abril a agosto de 2008, e o estudo revelou com clareza a maneira como as marcas influenciam de forma positiva e importante o processo de mobilidade social.

Nele mostra que a renda, sobre a lógica do consumo popular  é mais do que simples referências de consumo, as marcas ocupam espaço importante no projeto de vida da população. Ao se comparar a maneira como as pessoas se vêem com suas projeções de futuro, se percebe que muitos dos ideais são os mesmos depositados às marcas e produtos desejados pelos consumidores. E ainda, há alguns tópicos cruciais nessa relação: Preço não é necessariamente gerador de confiança. A estratégia de depenar produtos ou baixar a qualidade na busca por preços mais agressivos não funciona; As marcas de confiança são uma ponte para o projeto aspiracional desses consumidores. As marcas alimentam o projeto de futuro dessas pessoas, conectando-os com seus sonhos; Marcas boas não resistem a produtos ruins. Esse consumidor conhece a relação custo/benefício dos produtos/serviços. Para esse consumidor, qualidade é fundamental; Marcas de confiança sempre têm uma nova história para contar.A comunicação é decisiva para esse consumidor. As marcas que estabeleceram relações positivas com esse público investem muito em comunicação. Estar na mídia dá credibilidade, confere simpatia e instiga a curiosidade do público.

Levando tudo isso em conta, decidi contar a história de algumas das marcas conhecidas de um jeito muito especial…

ra uma vez, há algum tempo atrás um químico boliviano recém-formado chamado Miguel Gellert Krigsner. Em conjunto com uma colega de faculdade, Eliane Nadalin e dois médicos dermatologistas Wilhelm Baumeier e José Schweidson Filho, iniciaram em 22 de março de 1977 num reino muito distante chamado Curitiba no Paraná tendo como capital algumas moedas de ouro que juntas somavam US$ 3 mil emprestados de um tio a farmácia de manipulação inicialmete batizada de Botica.

A idéia era brincar de alquimista e manipular artesanalmente medicamentos (pratica essa que estava a ser redescoberta naquela época) dando assim ao paciente uma nova opção de tratamento e de uma forma personalizada, principalmente na área dermatilogica. Mas, esta não era uma simples farmácia… O pequeno local foi planejado para que todos que lá fossem, se sentissem bem! Balcões repletos de remédios? Que nada… A loja teria uma sala bem aconchegante com sofá, cafézinho e revistas enquanto se aguardava a preparação das receitas médicas. Ao inves dos assistentes, os proprios farmaceuticos e proprietarios estariam por detras do balcão para passar uma imagem de profissionalismo e ao mesmo tempo próxima de cada cliente.

E foi assim que Miguel e sua equipe seguiu… da preparação de receitas para a produção de produtos com a marca O Boticário. Com o mercado limitado onde atuavam, o negocio foi ampliado para a area cosmética com linhas naturais e próprias de shampoo e cremes hidratantes para todos os tipos de pele e necessidades com a base de algas marinhas, oferecendo assim aos clientes que visitavam a até então farmácia. E em muito pouco tempo e graças a boa e velha propaganda do boca a boca, as pessoas passaram a ir a procura dos produtos, que já naquela época era sinonimo de qualidade!

A primeira deo-colonia, Aqua Fresca foi lançada em 1978 é um marco na perfumaria nacional e ainda é vendida, em todas as redes da marca. Uma curiosidade é que, serca de 70 mil unidades desse perfume foi adquirido por Silvio Santos, que tinha planos de a lançar mas acabou por desistir do negocio.

Um ano mais tarde o sucesso chega com a primeira loja aberta no aeroporto da região metropolitana de Curitiba, e levada Brasil afora nas mãos de turistas que passaram a ter contato com os produtos e suas embalagens diferentes das demais existentes no mercado e a fabricação já tinham alguma variedade. Até que o empresário percebeu a grande oportunidade de franquear a marca, e mesmo que nessa época o conceito não fosse tão conhecido, O Boticário inaugurou sua primeira loja franqueada em Brasilia, em 1980. E já no ano que se seguiu, foi construida uma fabrica de grande porte, na região metropolitana de Curitiba, onde foi empregado 27 funcionários, que produziam cerca de 400 mil unidades de produtos, por ano. Só para se comparar, hoje em dia a fabrica tem 1500 funcionários, numa area construida de 39 mil metros².

O segundo “boom” da marca foi em 1986, quando já contabilizando mais de 500 lojas por todo o Brasil e inaugurou sua primeira unidade fora do país… O destino escolhido foi Portugal, mais precisamente no shopping das Amoreiras em Lisboa a primeira de 70 franquias que encontramos por aqui, atualmente.

No fim da decada de 80, antes até da aprovação do Código de Defesa do Consumidor, a empresa criou a área de relacionamento com o cliente, iniciativa essa que intensionava manter um canal direto e permanente de comunicação onde todas as questões pudessem receber toda a atenção que necessitaria, mesmo os produtos já vendendo por si só. Bem como, em 1992 surgiu a primeira edição do Manual de Operações, onde se encontra as orientações necessárias para a abertura de estabelecimentos, layout das lojas, a organização dos produtos, entre muitas outras, como a padronização visual das lojas, principalmente quanto à exclusividade dos seus pontos de vendas, e uniformes dos funcionários.

Vamos contar? Em 2002, a empresa já possuía 2.100 lojas abertas e esse foi o momento escolhido para o lançamento da loja virtual na Internet. A expansão continuou no ano seguinte com a inauguração de uma loja no Uruguai, seguida de uma unidade nos Estados Unidos, localizada em Nova Jersey. Falando da marca pelo mundo, ela é maior rede de franquias de cosméticos e perfumaria do mundo, possuindo atualmente mais de 3.000 lojas no Brasil estando presente em 1.570 municípios, e no exterior está presente em mais de 10 países como Japão, Estados Unidos, Arábia Saudita, Portugal, Peru, Venezuela, Colômbia, Paraguai, África do Sul e Angola, com 77 lojas prórias e 600 pontos de venda. A empresa dá emprego a aproximadamente 2.500 colaboradores, sem contar com outros 16 mil empregos gerados pela rede de lojas. Em 2010 a empresa atingiu a marca histórica de R$ 1.5 bilhões em faturamento, mas, se somado o faturamento de todas as lojas provenientes de uma rede formada por mais de mil franqueados o valor sobe para R$ 4.5 bilhões. A rede vende mais de 100 milhões de itens anualmente. Hoje em dia, a empresa testa o modelo de venda direta com a marca O Boticário desde setembro de 2010, em duas cidades das regiões Nordeste e do Sudeste. As consultoras, hoje são cerca de 110 nas duas cidades, são vinculadas à rede de franquias da marca.

Pois é, falando em evolução… Foi criado em 2004, do Malbec, primeiro perfume produzido com álcool vínico no mundo, que utilizava um processo de fabricação semelhante ao do vinho, e no segundo semestre de 2005, a marca ousou mais uma vez ao inaugurar sua primeira loja em Riad, na Arábia Saudita, e um showroom no maior shopping da cidade do Cairo, capital do Egito, berço mundial da perfumaria. E em 2006, O Boticário recebeu, em NYC o prêmio de Varejista Internacional do Ano o The International Retailer of The Year, concedido pela Federação Nacional de Varejo dos Estados Unidos. Neste mesmo ano a marca lançou o Lily Essence, primeiro eau de parfum da empresa, desenvolvido a partir dos óleos essenciais do lírio, em um processo centenário conhecido como enfleurage. Outra grande notícia do ano foi que se tornou a primeira empresa do Brasil a desenvolver produtos cosméticos com nanotecnologia aplicada.

Em 2007, no ano em que a empresa completou 30 primaveras foi bastante positivo: implantou um novo padrão de loja, lançou produtos com a participação do consumidor, colocou no mercado seu segundo Eau de Parfum e iniciou um relacionamento mais próximo com o público masculino. E pouco depois, inaugurou o Laboratório de Biologia Molecular, um dos mais avançados do mundo para estudos dos fenômenos bioquímicos envolvidos no envelhecimento da pele e de ingredientes naturais da biodiversidade brasileira.

Mas ainda, a marca faz um importante projeto! A Fundação O Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos, que tem como missão promover e realizar ações de conservação da natureza. Foi criada no dia 25 de setembro de 1990, como forma de efetivamente contribuir para o equilíbrio ecológico do planeta e manutenção das condições de vida desta e das futuras gerações. Por meio da Fundação, a empresa protege as mais belas paisagens brasileiras, suas espécies nativas e contribui para a preservação do maior patrimônio da humanidade: a natureza.

O Boticário possui reconhecido comprometimento com a responsabilidade sócio-ambiental, levando em conta em todas as ações que permeiam o negócio da empresa. E ainda, destina aproximadamente 1% da sua receita líquida ao investimento social privado, focando suas ações na preservação do meio ambiente e disseminação da cultura e da educação. A Fundação dirige suas ações e recursos a três programas: Incentivo à Conservação da Natureza, Áreas Naturais Protegidas (Mata Atlântica e Cerrado) e Educação e Mobilização. Até hoje, mais de 1.200 projetos já foram apoiados, somando um total superior a U$ 9.2 milhões em investimentos. Com a criação do Grupo Boticário, em 2010, passou a se chamar Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, assumindo, também, nova logomarca e identidade visual.

Você sabia que:

A empresa O Boticário é genuinamente brasileira e o seu capital é constituído com 100% de recursos próprios?

E em 2010, os investimentos em marketing somaram R$ 173 milhões… Mas que nenhum centavo foi utilizado para este post, hehehe

fonte 

O que acharam dessa nova caterigoria? Me contem…

Beijos.

1 Comentário
05
Abr

A história do Sushi

Boas Idéias Coisinhas Fofuras

Como estamos na semana santa e, segundo a tradição cristã não podemos comer carne vermelha na sexta feira santa trago um vídeo absolutamente incrível sobre a história do sushi: desde a pesca dos peixes até como vai parar ao seu prato!

Pois sim, o #jehjeh também é cultura… Hehehe

Então sente e aperte o play… Que lá vem a história!

Infelizmente ele está em inglês então, caso não consigam perceber resumo tudo  para que então entendam a história…

Você alguma vez já se perguntou de onde vem o peixe de seu sushi? Provavelmente não, afinal para que se preocupar com esses pequenos detalhes, não é mesmo? Pensando nisso então, o restaurante Sushi Bamboo de Portland, Oregon nos EUA criaram um curto documentário, feito todinho a mão que durou cerca de 7 meses para ficar pronto que conta em pouco mais de 4 minutos a grande e verdadeira destruição causada pela pesca. Segundo ele, quando optamos por peixes e consequentemente sushi barato e a partir de fontes duvidosas, pode estar contribuindo pra a sobrepesca, a captura acidental pratica onde os peixes são capturados acidentalmente e também o esgotamento geral dos recursos do oceano e frutos do mar. Ou seja, em outras palavras, você pode estar contribuindo e aumentando a probabilidade de que o peixe usado na preparação do sushi não estar disponível para todos, nas próximas décadas… Então ainda de acordo com o vídeo, a maneira certa para que esse suprimento seja estável por mais tempo é começarmos a proteger os peixes.

O restaurante Sushi Bamboo se orgulha em servir frutos do mar sustentável e se anuncia como o “primeiro restaurante de sushi certificado do mundo” pelo Marine Stewardship Council. Foram também a força por detrás do bem sucedido plano de Summit Series em criar uma nova reserva marinha no Caribe.

Aparentemente, esse conteúdo na verdade foi criado para substituir os anúncios tradicionais, onde várias empresas independentemente do tamanho das mesmas estão aderindo. Alem de por vezes mais econômicos, esse tipo de propaganda mesmo curta quando bem filmados e editados, podem atrair uma maior audiência já que o alcance via web está cada vez mais difundido em todo mundo!

E vocês, o que acharam? Não deixem de me contar… Hehehe

Beijos.

2 Comentários
16
Abr

Filmes: História de nós dois

Filmes & Séries

Bem, este filme que hoje vou “indicar”, é antigo mas mesmo assim não deixa de ser lindo! Por incrível que parece, o assisti relativamente a pouco tempo, mas já entrou no meu Top 10, nas primeiras posições, rs. Só peço desculpas pela qualidade do trailler, mas deve-se a idade do filme, rs.

Classificação Pessoal: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Gênero: Drama

Sinopse: Após 15 anos o casamento de Ben (Bruce Willis) e Katie Jordan (Michelle Pfeiffer) entra em crise. Assim, eles se separam na mesma época em que seus filhos Josh (Jake Sandvig), de 12 anos, e Erin (Colleen Rennison), de 10, estão em um acampamento de verão. Separados, cada um tenta recomeçar sua vida em cantos neutros, aproveitando o período para avaliar e refletir sobre a vida que tiveram juntos, com seus altos e baixos, e tentam concluir se ainda há algo de sólido nesta relação, que permita uma reaproximação.

Ficha Técnica:

título original: The Story of Us
duração: 95 minutos
ano de lançamento: 1999
site oficial: http://www.universalpictures.com/storyofus
estúdio: Castle Rock Entertainment
director: Rob Reiner

By: Interfilmes: http://www.interfilmes.com/filme_13547_A.Historia.de.Nos.Dois-(The.Story.of.Us).html

Trailer:

Opinião Pessoal: Um dos meus filmes favoritos! Mostram quase na perfeição a história de um casal normal, com todos os problemas, mas também com os momentos felizes. Filme quase que perfeito! Super-recomendo para todos…rs

Beijos

10 Comentários
!-- WP FOOTER -->