16
Jun

#Critica Prometheus

Cinema

The search for your beginning may lead to our end

E é uma tarefa muito difícil falar sobre Prometheus sem estragar as surpresas… Por isso então, vou dar meu máximo para que isso não aconteça, ok? Hehehe

Como acho que muitos já sabem, o filme faz parte do universo Alien conjunto essa, anterior ao primeiro filme sem focar nos extraterrestres mas sim, conta uma nova história que marca a junção entre os dois mundos.

 

Prometheus te coloca a bordo, onde vemos uma humanóide procurando criaturas alienígenas para buscar respostas sobre a criação do homem. E então assim, damos um grande salto no tempo rumo ao futuro, introduzindo personagens e mantendo a constrição desse mistério de uma forma com um ritmo perfeito! Sim, mesmo tendo muitos pontos em comum com os outros filmes da série, há muito mais suspense nos eventos que se desenrolam…

O enredo é bem simplista, e parece seguir o mesmo enredo de “Alien” uma vez que não há como estabelecer comparações. Como o primeiro, Ridley Scott mostra mais uma vez como somos tão fascinados por coisas que nunca viram, não dando em conta do que as coisas perigosas que poderia ser capaz de fazer. Mas, ao contrário do filme original, eles realmente não sentem o perigo, até o final do filme que eu desejo para não estragar.

No elenco, vemos Michael Fassbender como David foi o destaque do filme, que é de longe o personagem mais interessante e Noomi Rapace como a protagonista Elizabeth Shaw que também esteve bem. O elenco de apoio que trás Logan Marshall-Green como Charlie Holloway, Theron Charlize como Meredith Vickers, e Idris como Elba Janek são ótimos de assistir mas talvez não tiveram o tempo de desenvolvimento suficiente, quase como se houvesse grandes cenas cortadas que teria explicado melhor certas ações e reações…. Mas para nossa alegria, Scott e sua equipe conseguiram manter o filme em um ritmo muito bom e com uma profundidade emocional nos momentos certos.

A arte do filme é realmente incrível, com conjuntos lindos de imagens. Uma coisa que achei bem interessante foram os efeitos especiais serem poucos e distantes entre si, com o propósito de usar tantas filmagens “reais” quanto possível, para assim dar uma maior realismo.  E os efeitos visuais em 3D foram definitivamente definitivamente de outro mundo! Hehehe

Prometeu está longe de ser perfeito, mas no final, ele vai fazer você esperar as possíveis sequelas. Ainda assim, é fascinante e absolutamente recomendável…

Então para resumir: O filme parece brilhante especialmente em 3D e tem grandes atuações (especialmente de Fassbender, Rapace e Elba) e tem alguma ação. Acho que a história realmente não faz muito sentido… Cientistas que vão descobrir nossas origens realmente não parece ter muita relevância para nada, e apenas confunde o filme. Em seguida, houve um personagem totalmente inútil Guy Pearce que realmente não acrescenta nada e ainda parecia estar controlando a maior parte das motivações principais personagens. Apesar disso, gostei da certa tensão do personagem de Michael Fassbender, que dominou o filme. No geral eu acho que esse filme foi bastante decepcionante principalmente para quem espera um filme com Ridley Scott de Alien e Blade Runner. No entanto mesmo com a história pobre, foi salva por algumas atuações de primeira classe, grande direção e claro, um visual deslumbrante.

Sua estreia aqui em Portugal foi no dia 07 junho, e no Brasil em 15 de junho.

Beijos.

2 Comentários
14
Jan

#Critica Sherlock Holmes 2

Cinema

Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras

Normalmente, se uma sequência aparece é lançada dois anos após o original, teríamos uma boa razão para as baixas expectativas. Mas, cá voltamos e com Robert Downey Jr e Jude Law reprise seus papéis como Sherlock Holmes e Dr. Watson, repetindo o modelo de sucesso fornecido pelo original, e que é certo para manter os fãs felizes…

Guy Ritchie se mostrou bastante um diretor elegante e deixa Sherlock Holmes, projetado mais como um filme de ação do que de um mistério… O primeiro filme mostra muitas coisas estranhas, pois vemos um novo Holmes, que se mostra um lutador com uma mente brilhante. E é sem sombra de dúvidas, uma das grandes inovações do personagem!

Neste novo filme, as coisas ficam ainda maiores, e a ação se mostra mais presente do que nunca. O filme ainda tem o cérebro, mas ação mesmo sendo boa chega em certa hora, a se perder no foco para a trama principal.

Cada aspecto da direção de arte deve ser reconhecido como o melhor dos melhores, pois acaba realmente por nos transportar de volta para os primeiros dias do século XX, nos fazendo sentir realmente no meio das capitais muito poluídas da Europa, e a fotografia requintada mergulhando-nos no mundo de sombras, que fazia parte da sociedade na época. Nos levando através dos estudos filosóficos de natureza auto-destrutiva que o homem é, e como o mal de lucro gênios da disposição trágica do homem.

Holmes e Watson são verdadeiramente dois dos personagens mais inteligente e fascinante da literatura, e se não fossem uma equipe, eles poderiam ter páreo um ao outro e Moriarty é com certeza, o vilão perfeito.

A ação presente é maior aqui do que no primeiro, pois vai alem de apenas as artes marciais de combate. Como uma guerra entre gato e rato, a perseguição segue através de algumas belas paisagens e termina com a solução final, uma jogada de xadrez tão diabólica, que poderia ter um clichê incrível, com um verdadeiro fim aberto, ou não, dependendo de quão cuidadosamente você revisou as pistas ao longo do caminho que Ritchie vai nos monstrando sutilmente, passo à passo. e ainda assim impressionantemente emocionante

Os melhores momentos ficam para a relação de Holmes e Watson. Robert Downey Jr. e Jude Law têm uma química fascinante que ilumina filme! Guy Ritchie fez uma jogada inteligente para essas cenas. Dando muita força e emoção. As performances são boas, como sempre, pois como já disse, Downey Jr. e Law são ambos divertidissimos juntos…

Então para resumir: Se esse é um bom filme? Elementar meu caro Watson… Mesmo se você não for um fã, os conjuntos fabulosos de filmagem em vários locais do vão mantê-lo interessado, mesmo que seja apenas para você se assustar nas grandes explosões, hehehe

Sua estréia aqui em Portugal foi no dia 05 de janeiro, e no Brasil em 13 de janeiro

Beijos.

10 Comentários
!-- WP FOOTER -->