11
Dez

E Hobbit e Sherlock se misturassem…?

Something

…seria mais ou menos assim! Hehehe

Esta é uma história de muito tempo atrás e naquela época, as línguas e as letras eram muito diferentes das que empregamos hoje…

1

Numa toca no chão, precisamente situado na 221B Baker Street em Londres vivia um hobbit. Não uma toca desagradável, suja e úmida, cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo, tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto…

Capa

Esse hobbit era um hobbit muito abastado, e seu nome era John Watson. Ele vivia na vizinhança desde que tivera de voltar da guerra, quando fora atingido por uma bala enquanto servia como médico no exército britânico na Guerra do Afeganistão quando passa a dividir a toca com Sherlock Holmes, um detetive consultor a quem a Scotland Yard recorre nos casos mais complicados para os quais não consegue encontrar solução. Vistos como um excêntricos por todos, pois agora juntos ambos conseguem conhecem uma vez que consegue descobrir todos os aspectos das vidas das pessoas apenas por as observar e fazer deduções.

(mais…)

Nenhum Comentário
14
Jan

#Critica Sherlock Holmes 2

Cinema

Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras

Normalmente, se uma sequência aparece é lançada dois anos após o original, teríamos uma boa razão para as baixas expectativas. Mas, cá voltamos e com Robert Downey Jr e Jude Law reprise seus papéis como Sherlock Holmes e Dr. Watson, repetindo o modelo de sucesso fornecido pelo original, e que é certo para manter os fãs felizes…

Guy Ritchie se mostrou bastante um diretor elegante e deixa Sherlock Holmes, projetado mais como um filme de ação do que de um mistério… O primeiro filme mostra muitas coisas estranhas, pois vemos um novo Holmes, que se mostra um lutador com uma mente brilhante. E é sem sombra de dúvidas, uma das grandes inovações do personagem!

Neste novo filme, as coisas ficam ainda maiores, e a ação se mostra mais presente do que nunca. O filme ainda tem o cérebro, mas ação mesmo sendo boa chega em certa hora, a se perder no foco para a trama principal.

Cada aspecto da direção de arte deve ser reconhecido como o melhor dos melhores, pois acaba realmente por nos transportar de volta para os primeiros dias do século XX, nos fazendo sentir realmente no meio das capitais muito poluídas da Europa, e a fotografia requintada mergulhando-nos no mundo de sombras, que fazia parte da sociedade na época. Nos levando através dos estudos filosóficos de natureza auto-destrutiva que o homem é, e como o mal de lucro gênios da disposição trágica do homem.

Holmes e Watson são verdadeiramente dois dos personagens mais inteligente e fascinante da literatura, e se não fossem uma equipe, eles poderiam ter páreo um ao outro e Moriarty é com certeza, o vilão perfeito.

A ação presente é maior aqui do que no primeiro, pois vai alem de apenas as artes marciais de combate. Como uma guerra entre gato e rato, a perseguição segue através de algumas belas paisagens e termina com a solução final, uma jogada de xadrez tão diabólica, que poderia ter um clichê incrível, com um verdadeiro fim aberto, ou não, dependendo de quão cuidadosamente você revisou as pistas ao longo do caminho que Ritchie vai nos monstrando sutilmente, passo à passo. e ainda assim impressionantemente emocionante

Os melhores momentos ficam para a relação de Holmes e Watson. Robert Downey Jr. e Jude Law têm uma química fascinante que ilumina filme! Guy Ritchie fez uma jogada inteligente para essas cenas. Dando muita força e emoção. As performances são boas, como sempre, pois como já disse, Downey Jr. e Law são ambos divertidissimos juntos…

Então para resumir: Se esse é um bom filme? Elementar meu caro Watson… Mesmo se você não for um fã, os conjuntos fabulosos de filmagem em vários locais do vão mantê-lo interessado, mesmo que seja apenas para você se assustar nas grandes explosões, hehehe

Sua estréia aqui em Portugal foi no dia 05 de janeiro, e no Brasil em 13 de janeiro

Beijos.

10 Comentários
!-- WP FOOTER -->