25
Abr

#Critica Thor: O mundo sombrio

Cinema Filmes & Séries

E antes tarde… Hehehe

 Capa

Thor: The Dark World fez uma escolha sábia em intensificar a sua sequência! Explorando mundos para além Asgard e Midgard e inovando mais detalhes em torno deste universos… Pois com um material de origem tão rico, para quê trazer um cotidiano aborrecido? Sendo quase como o oposto do primeiro filme, funciona muito melhor quando não apenas mostram os heróis lutando contra os bandidos, mas também se prende numa nova trama.

(mais…)

Nenhum Comentário
27
Abr

#Critica Avengers: Os Vingadores da Marvel

Cinema

…sob o olhar de uma garota nerdHehehe

Earth’s mightiest heroes the Avengers!

E chega ao fim da espera de um dos filmes mais aguardados do ano! Graças a uma grande expectativa que vinha a ser construinda durantes tantos meses desde os filmes individuais sobre cada um dos personagens que compões este grupo de super-heróis: Homem de Ferro, Hulk, Thor e Capitão America! Todos esses filmes foram muito bons por conta própria, e incrivelmente em The Avengers todos eles se unem em uma grande aventura, trazendo os quadrinhos Marvel para a telona, mesmo que cada um dos personagens pertença a mundos distintos… E posso dizer que, poucas vezes um filme não só cumpriu todas essas expectativas, como ainda as superou!

O filme segue contando como esses heróis foram convocados e, como se reuniram com Nick Fury Samuel L. Jackson na SHIELD para recuperar o Cubo de Energia roubado pelo deus de Asgard, Loki. Chegou a ser engraçado ver como foi retratado o grande choque de egos individuais de cada um e como acabam por se dar bem um com o outro mesmo com essas diferenças. Falando nisso, quem teria imaginado anos atrás que todos esses personagens poderiam se encaixar em um filme e todos eles terem feito justiça JUNTOS?

Sim, um dos aspectos mais impressionantes foi conseguir fazer com que cada herói tivesse o seu tempo no centro das atenções e seu arco próprio de caráter. Cada single principal é tratado com uma inteligência notável determinado espaços para cada um brilhar uma ótima ideia introduzir todos os personagens para o público como se você nunca viu antes. Claro, os outros filmes configuram e dão profundidade a cada um, mas mesmo se você perdeu algum dos filmes individuais, você ainda vai conhecer e se preocupa com eles neste filme. Tudo isso na medida certa!

Sou suspeitíssima para falar já que #amo o Homem de Ferro, mas Tonny Stark Robert Doney Jr. é absolutamente hilariante e executa de forma brilhante mostrando uma das melhores performances do filme adicionando um pouco de comédia para uma aventura de outro modo ação ajuizada e ficando melhor a cada filme. Mas não é o único que brilha aqui, pois Bruce Banner-Hulk Mark Ruffalo nos faz dar muitas risadas durante o filme e alem da coleção de seqüências de ação em todo o filme com o seu “Hulk Smash!” superando as dúvidas que muitos tinham sobre Marc Ruffalo não ser como Ed Norton como Dr. Bruce Banner e Hulk já que Ruffalo realmente assume o personagem com um charme único e inédito em outro Hulks. Nós vemos o retorno do ameaçador Loki Tom Hiddleston. Não só faz um vilão terrível mas a química entre ele e o Homem de Ferro Doney Jr. não tem preço… Se você não gostou de Loki em Thor, como eu com certeza irá mudar de idéia, que apesar de mau é um vilão icônico.

O patriota Capitão América Chris Evans , o deus nórdico e poderoso Thor Chris Hemsworth, o Gavião Arqueiro Jeremy Renner e super-espiã soviética Viúva Negra Scarlett Johansson nos mostram o mesmo desempenho já vimos em seus filmes, e surpreendentemente todos trabalharam muito bem. Acho que os melhores momentos de ação são quando todos os Vingadores estão juntos já que a química entre eles é perfeita, que troca de puro ódio para os  melhores amigos em questão de minutos. Agora a única coisa que você não precisa se ​​preocupar neste filme é um dos personagens principais serem deixados de lado. Pelos trailers tive a impressão que o filme seria Homem de Ferro & Cia. o que confesso mesmo assim não seria mal para mim mas podem confiar, todos os caracteres que você deseja obter o tempo todo na tela.

O roteiro é eficaz tanto no socos cinematográficos, quanto diálogos apaixonantes. O CGI é magnífico, com efeitos visuais emocionantes. Pode ser que em qualquer filme de super-heróis seja estruturado por um fundo eletrizante que está claramente em falta aqui porém, é compensado por performances poderosas pelo resto do starcast. No lado técnico, os efeitos visuais são o destaque maior oferta uma grande extensão visual dos personagens que habitam a tela. As cenas do Hulk, Iron Man e as criaturas que destroem a cidade na batalha climática vai surpreender o público. Todos os outros departamentos de design de produção de cinematografia ou de som estão no topo de seu jogo preencher a experiência enquanto avança o filme.

É um filme que tem um maravilhoso equilíbrio entre a inteligência e o divertimento . Este é, sem dúvida um dos top 10 filmes de 2012, um épico de grande blockbuster. Com certeza, suas expectativas não iram decepcionar… Cheio de ação com boas histórias, performances encantadoras e CGI soberbo! Daqueles que, vão vontade de repetir a sessão, para um segundo tempo. Este filme é mesmo bom!

Então para resumir: E mesmo não sendo uma boa conhecedora de quadrinhos, porém tendo como editora preferida a Marvel, adorei o filme profundamente! Há grandes momentos de ação, seriedade, emoção assim como de intenso humor! Este filme é um espetáculo imperdível não só para todos os fãs de quadrinhos, mas também para quem gosta de uma boa aventura! Como disse, todos os personagens deste filme tem uma quantidade igual de tempo na tela, que é geralmente o problema em um filme onde você lida com vários personagens. Uma obra-prima da Marvel, de maneira em que tudo se encaixa! Chega a ser quase impossível encontrar furos na história. Sr. Whedon foi a pessoa perfeita para ter lidado com essa história, já que ele é um fã de quadrinhos, ele acertou 100%. Ahm, e atenção: não perca a cena extra, dos créditos finais!  Hehehe

Um bônus especial:

 

Iroman and Hulk <3

Sua estréia aqui em Portugal foi no dia 24 de abril, e no Brasil em 27 de abril.

Beijos. 

13 Comentários
28
Jan

#Critica: Millennium – Os homens que não amavam as mulheres

Cinema

Millennium: A garota com a tatuagem de dragão

Como ainda não li os românces da saga Millenium de Stieg Larsson, não posso dizer como este filme é fiel ao material original e, por agora Hollywood estar obcecado com remakes confesso que minhas espectativas não eram as maiores por esse filme. E sim, estava absloutamente errada sobre isso… Hehehe

David Fincher, que também dirigiu filmes como: Clube da Luta, O Curioso Caso de Benjamin Button, e mais recentemente A Rede Social, tem um olho fantástico para o cinema e sempre impressiona com seus filmes. Misture-o com o escritor de: A Lista de Schindler e Gangues de Nova York, adicionar atores como Daniel Craig, Mara Rooney, Christopher Plummer e tantos outros, ao som da trilha de Trent Reznor&Atticus Ross (que também marcaram A Rede Social), e basei-o no livro best-seller de Stieg Larsson… O tornarão então não um remake, mas sim uma re-adaptação e resulta, na minha total e sincera opinião, no melhor filme do ano até agora.

Acho que sempre pode haver espaço para interpretações e visões diferentes, em uma nova abordagem e foi isso que a versão de Fincher se destaca, mesmo sendo mais detalhada, e curiosamente mais interessante e intensa. Criando então uma adaptação cinematográfica de Larssons enquanto best-seller e ao mesmo tempo, melhorando o material de origem sueca. Sejam quais forem as brechas ou lacunas que a adaptação anterior tinha, o filme de Fincher conseguiu preenche-la e explica-la de sua própria maneira.

Esse é um thriller soberbo e frio com a surpreendente atuação de Rooney Mara, o tornando claramente um filme sólido. O personagem exigiu uma atriz que podia interiorizar suas emoções mas, ao mesmo tempo conter uma vasta gama de sentimentos. Mara faz esta atuação tão perfeitamente, que cada olhar é carregado com profundo sentimento, como se você estivesse vendo diretamente sua alma. Capturando todo o mistério, a estranheza, a escuridão, a personalidade da mesma forma que a personagem tinha. Rooney foi tão absolutamente fantástica que a rendeu sua indicação e provável premiação ao Oscar, com seu corpo magro, penteado gótico, piercings e tatuagens excessivas e sua atitude mais agressiva, dão uma resposta mais complexa do que Lisbeth Salander retratada por Noomi Rapace. Mas é principalmente graças ao roteirista Steven Zaillian, que abrange as informações que a adaptação anterior seria simplesmente deixado passar ou então apenas falar sobre em vez de expô-la sim, assistimos a versão sueca para fazer as devidas comparações, hehehe. Fincher e Zaillian mostram seriamente o quão escura e tumultuada é a vida e as motivações de Lisbeth e por isso, para alguns esta abordagem pode ser demasiado brutal ou desnecessários. Mesmo não achando ser mais brutal do que os anteriores thrillers de Fincher, como Se7en. E este é então, a real essência do diretor, feita exclusivamente para fãs que estão confortáveis ​​com o estilo e deixando marca do uso da escuridão de um jeito fantástico.

Em The Girl With The Dragon Tattoo, tanto em seu cenário congelado e coberto de neve na Suécia quanto dentro dos maravilhosamente estranhos interiores, criam uma atmosfera inquietante que é implacável e tecnicamente perfeita. Sobre a natureza perturbadora de algumas cenas, Fincher foi sábio o suficiente para as mostrar, em todo seu horror.

As performances são ao longo de todo o filme perfeitas, graças a uma produção de elenco que fez um grande esforço para não pegar apenas grandes atores, mas sim aqueles que encarnam na própria essência de seus personagens. Os coadjuvantes são Yorick van Wageningen, que interpreta o sádico Bjurman, com credibilidade inquietante e Christopher Plummer, que é perfeito como o desesperado, Henrik Vanger. Como parte central, Daniel Craig faz seu melhor desempenho, normalmente escolhido como o herói durão Craig que nessa versão é mais moderado, mas com o mesmo charme de Mikael Blomkvist que mas também capta o aspecto fraco e submisso de seu caráter. Lisbeth Salander é uma personagem de ficção, totalmente diferente do que já se viu… Destroçada, vestida quase sempre de preto e couro, com cabelos pretos e curto, com um corpo tão leve que dá a impressão de que até o vento pode quebrá-lo, vítima de terriveis barbaridades, mas que se recusa a ser considerar como tal. Para resumir, ela é uma das personagens mais interessantes e difíceis de se reproduzir. Mas, como já me referi acima, foi brilhantemente desevolvida Rooney Mara, chegando ela a ter a própria essência da Lisbeth.

Um ponto que muitos têm comentado sobre com este filme como no livro e na versão sueca, foram dos momentos em que a violência sexual aparece na tela. Embora existam alguns momentos realmente desconfortántes, essa é a razão pela qual foram cenas sucesso. Eles realmente chocam e fazem querer desviar o olhar. E mais do que qualquer coisa, o que chega a impressionar é o humor que é adicionado… Este filme vai fazer você rir, vai quebrar seu coração e ainda te fazer querer tomar um banho, hehehe

Felizmente, a versão em inglês é cheia de cenas que eram ou desmenbrada ou completamente deixada de fora da versão sueca. No entanto, apesar de ser mais robusto, Dragon Tattoo americano é extremamente acelerado, e mesmo apressado consegue mostrar todos os pontos importantes da trama. Os personagens têm tempo para se desenvolver e crescer, a pista de averiguação faz mais sentido, e que o assassino é mais horripilante. O roteirista Zaillian soube exatamente o que deixar de fora e o que mudar. Existem pedaços mostrados no clímax do filmes,  que Lisbeth no fundo tem um alma. Assim, o filme consegue superar esse obstáculo…

No geral, The Girl With The Dragon Tattoo é um filme magistral, daquele que você deve definitivamente ver em breve. É muito bem dirigido, escrito e atuado, e consegue tudo o que se propõe a fazer. Você sente a emoção e as trevas do filme, Rooney Mara irá te surpreender com seu desempenho!

 

Então para resumir: The Girl With The Dragon Tattoo não é definitivamente um filme para quem tem coração fraco! É um filme que abalaria sua “gaiola de conforto”, e acho que o público será dividido: ou você irá realmente amá-lo, ou verdadeiramente detestá-lo, mas dificilmente haverá um meio termo. Com uma história excelente, tem uma importante missão de sensibilizar sobre violência contra as mulheres. Mara, em particular, habita Lisbeth Larsson, de um modo que Rapace não foi capaz… Ela capta silêncio Lisbeth, a natureza e alguns transtornos de personalidade, perfeitamente. Seu corpo frágil e aparência estranha corresponde à descrição do livro, se permindo ser vulnerável mas forte ao mesmo tempo. É uma performance cativante. Se alguém me perguntasse, pessoalmente, qual a versão para ver, eu teria que dizer sem hesitação que esta é a rara ocasião em que a adaptação norte-americana é superior. Sinceramente, não achava que era possível ficar tão verdadeiro para a história com menos de três horas. Tendo a edição, a direção, os tiros, tudo sobre este filme tiver sucesso, tornando-o um filme quase perfeito!

Sua estréia aqui em Portugal foi no dia 19 de outubro, e no Brasil em 27 de janeiro

Beijos.

11 Comentários
!-- WP FOOTER -->