19
Jul

Os suspeitos

Filmes & Séries

O pior inimigo é aquele que você menos espera…

Capa

estrela-cheiaestrela-cheiaestrela-cheiaestrela-cheiaestrela-meia

Boston, Estados Unidos. Keller Dover Hugh Jackman leva uma vida feliz ao lado da esposa Grace Maria Bello e os filhos Ralph Dylan Minnette e Anna Erin Gerasimovich. Um dia, a família visita a casa de Franklin Terrence Howard e Nancy Birch Viola Davis, seus grandes amigos. Sem que eles percebam, a pequena Anna e Joy Kyla Drew Simmons, filha dos Birch, desaparecem. Desesperadas, as famílias apelam à polícia e logo o caso cai nas mãos do detetive Loki Jake Gyllenhaal. Não demora muito para que ele prenda Alex Paul Dano, que fica apenas 48 horas preso devido à ausência de provas contra ele. Alex na verdade tem o QI de uma criança de 10 anos e, por isso, a polícia não acredita que ele esteja envolvido com o desaparecimento. Entretanto, Keller está convicto de que ele tem culpa no cartório e resolve sequestrá-lo para arrancar a verdade dele, custe o que custar.

Alguns dados técnicos:

título original: Prisoners
lançamento: 2013
duração: 153 min.
diretor: Denis Villeneuve

No IMDB: 8.1

Prisoners é um filme instigante de drama-suspense, corajoso e incrivelmente bem atuado. Se centra principalmente sobre as escolhas tomadas e suas consequências, enfrentadas pelos personagens principais quando a piores coisas acontecem com eles e, levanta a seguinte questão: Quando a vida de um filho está em jogo, até que ponto você está disposto a fazer para unir e proteger sua família? Explora a probabilidade do comportamento humano quando, o crime está acontecendo e as linhas entre o bem e o mal passa a se tornar ténues… Ambas as famílias querem suas filhas de volta

Com o clima muito escuro e desagradável, nunca consegue dar descanso na construção do caráter e desenvolvimento da história. E, mesmo para um filme 153 minutos, a história se desenrola em um ritmo lento e solene mas as cenas dramáticas realizadas pelos membros do elenco principal do filme irá te manter envolvido.

Hugh Jackman e Jack Gyllenhaal ambos atuam de maneira intensa e digna de Oscar, definindo e desenvolvendo seus personagens com várias camadas de emoções: afeto, raiva, tristeza, empatia, culpa… Ao longo do filme a atmosfera com fortes chuvas, tempestuosos dias com neve e muito frio conseguem criar um ambiente terrível para compor o clima sombrio e assustador. Toda ação violenta tomada pelos personagens são atos de desespero, dado que eles estão correndo contra o tempo.

No entanto, o filme não é perfeito mas apesar de alguns problemas de enredo de várias voltas mostrados no filme, as excelentes performances foram suficientes para tornar a história bem-sucedida e crível. Mais do que recomendado para aqueles que queriam assistir a um filme de suspense drama sério e poderoso, envolvendo atuações e elenco incrivelmente talentoso!

Capa1

Beijos.

Nenhum Comentário
03
Fev

Histórias Cruzadas

Filmes & Séries

E falando em filmes e em Oscar… Hehehe

★★★★★

Mississipi, década de 1960. Skeeter Emma Stone acabou de terminar a faculdade e sonha em ser escritora. Ela põe a cidade de cabeça para baixo quando decide pesquisar e entrevistar mulheres negras que sempre cuidaram das “famílias do sul”. Apesar da confusão causada, Skeeter consegue o apoio de Aibileen Viola Davis, governanta de um amigo, que conquista a confiança de outras mulheres que têm muito o que contar. No entanto, relações são forjadas e irmandades surgem em meio à necessidade que muitos têm a dizer antes da mudança dos tempos atingir a todos.

Alguns dados técnicos:

título original: The Help
lançamento: 2012
duração: 137 minutos
diretor: Tate Taylor

No IMDB: 8.0

Mesmo que seja uma obra de ficção, a história é bem contada e muito emocionante. Com um ritmo lento, mas intrigante a cada momento…

O elenco faz um trabalho fantástico, em que cada cena parece ganhar vida. E, literalmente, nos dá uma visão interna de como “as ajudantes” foram tratadas naquela época. Também mostra o que era preciso ser e fazer, para ser tornar parte da elite e como muitas mulheres não se atreviam a falar suas opiniões por medo de serem expulsas. E ainda, que não só as “ajudantes” fazer o seu trabalho doméstico, como também muitas vezes eram mais mães que os reais membros da família.

The Help é brilhante, maravilhosamente escrito, emocional, bem atuado e suficientemente capaz de nos fazer pensar duas vezes em como tratamos uns aos outros… E perfeito para assistir com toda a família, que nos faz rir e chorar!

Um dos melhores filmes que eu já assisti em muito, muito tempo…

Entre muitas indicações, The Help ganhou o Oscar em 2012 de Melhor Atriz Coadjuvante para Octavia Spencer.

Um ato de coragem pode transformar tudo…

Beijos.

Nenhum Comentário
09
Mar

Comer, Rezar, Amar

Filmes & Séries

E nessa semana, do dia internacional da mulher nada melhor do que ver esse filme #fofo

Let yourself go! Deixe-se ir!

★★★★½

Liz Gilbert Julia Roberts tinha tudo o que uma mulher moderna deve sonhar em ter um marido, uma casa, uma carreira bem-sucedida ainda sim, como muitas outras pessoas, ela está perdida, confusa e em busca do que ela realmente deseja na vida. Recentemente divorciada e num momento decisivo, Gilbert sai da zona de conforto, arriscando tudo para mudar sua vida, embarcando em uma jornada ao redor do mundo que se transforma em uma busca por auto-conhecimento. Em suas viagens, ela descobre o verdadeiro prazer da gastronomia na Itália; o poder da oração na Índia, e, finalmente e inesperadamente, a paz interior e equilíbrio de um verdadeiro amor em Bali.

Alguns dados técnicos:

título original: Eat, Pray, Love
lançamento: 2010
duração: 133 min
diretor: Ryan Murphy

Sinceramente, não consigo entender o por que de tantas críticas negatinas sobre esse filme… Ok, alguns personagens são apenas esboços mas Eat, Pray, Love levanta algumas questões séries, que discordo totalmente quando dizem que nessa adaptação do livro não tem. E sim, é um alimento para os olhos, coração e mente! Julia Roberts está maravilhosa no papel de Liz, uma mulher que tem um espaço vazio dentro de si o qual busca insassantemente para ser preenchido… E por conta disso, decide parar por um ano e fazer algo totalmente diferente: deixa a vida “normal” e movimentada para buscar o lado interior de seu mundo, fazendo as pazes consigo mesma, aproveitando a vida nas pequenas coisas as quais tornam a vida digna de ser vivida. Ela viaja para Roma e na Itália aprende como as coisas comuns na vida cotidiana como simplesmente comer pode realmente dar prazer, claro se você não deixar a culpa que o mundo moderno sugere. E também aprende que rir pode ser a cura para a alma. Ela vai também à Índia para fortalecer-se através da oração e se manter equilibrada. Podendo então ajudar as pessoas desinteressadamente e ser capaz de se sentir bem sobre isso. Por fim, ela vai para Bali e aprende como sentir e expressar isso é a coisa mais natural do mundo e que não é ruim quebrar algumas de suas regras em nome d o amor que te faz “sorrir com o seu fígado”. Resumindo, um filme inspirador com grande atuação, belas paisagens, e lindas emoções. Mas uma dica: o assista depois do jantar ou caso contrário, você vai sofrer! Hehehe 

Você sabia que…

… o filme foi baseado no best-seller autobiográfico de Elizabeth Gilbert, que leva o mesmo nome do livro Comer, Rezar, Amar o qual prova que existe mais de uma maneira de levar a vida e de viajar pelo mundo!

Beijos.

4 Comentários
!-- WP FOOTER -->